domingo, 16 de dezembro de 2012

Mensagem de fim de ano

Queridos casais, 

Com a mesma alegria manifestada em nosso primeiro Colegiado com os CREs 2.012, é assim que nos sentimos ao término de mais um ano como CR do Setor Jundiaí B: nos momentos de felicidade como na recuperação de vários equipistas, representada especialmente pelo menino Matheus (7A e 7B) louvamos a Deus, assim como nos momentos de dor e aflição, nos unimos e pedimos pela misericórdia de Jesus Cristo. 

Em 2.013 convidamos os Casais Responsáveis de Equipe e os casais de suas equipes de base para que sirvam-se do “banquete” oferecido pelas ENS participando ativamente das Noites de Oração, Missas Mensais, Formações, Mutirões, Retiros – momentos abençoados e frutos do trabalho realizado em Colegialidade: CRE, CL, CE, SCE, AET, CRS... 

Nesse tempo de Advento, quando nos preparamos especialmente para celebrar o Senhor que veio, que vem e que virá e iniciamos um novo Ano Litúrgico, desejamos a todos um Santo e Feliz Natal e que em 2.013 as bênçãos para a concretização de seus projetos e desejos sejam abundantes. 

Sanderli e Toninho 
CRS Jundiaí B

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Missa de Posse dos CRE 2013

Aconteceu na última sexta-feira, dia 07 de Dezembro, a Missa Mensal das Equipes de Nossa Senhora de Jundiaí, onde foi celebrada a posse dos Casais Responsáveis de Equipe, eleitos para o ano de 2013. A Santa Missa foi presidida pelo Pe. Márcio Felipe (SCE do Setor Jundiaí A) e concelebrada pelo Pe. César (SCE da Equipe 10B).

Os CRE 2013 entraram em procissão inicial com as imagens das intercessoras de suas equipes, que ficaram aos pés do altar durante toda Missa. Foi introduzido também um banner com o tema de estudos para o próximo ano: "O caminho da vida espiritual em casal".

Aproveitando a ocasião, foram apresentadas as novas equipes que integram os Setores A e B.

Veja como foi, através das fotos, que estão aqui.

Que Deus ilumine a todos e que tenhamos um ano de 2013 inspirados pelo Espírito Santo! Vem Senhor Jesus!

.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Apelo PAIM

Queridos irmãos equipistas!

70 CRIANÇAS ESPERAM POR SUA AJUDA!!! 

A PAIM (Pastoral de Assistência e Integração do Menor), constituída desde Fevereiro de 2003 por uma equipista (Teresa do Tico - Eq 4B) e ligada ao Movimento das Equipes de Nossa Senhora por seus estatutos, vem desde então desenvolvendo muitos trabalhos de apoio e integração de crianças, adolescentes e familiares com vulnerabilidade social. Funciona em um imóvel alugado no bairro do Anhangabaú e atualmente está enfrentando graves dificuldades financeiras para arcar com esse aluguel. Para que essas 70 crianças tenham garantido esse espaço, estamos lançando uma campanha emergencial de contribuições mensais e contamos principalmente com a ajuda dos equipistas. 


 


Caso isso o sensibilize entre em contato com:
Bestetti (Eq. 4A) - 98299-0014
Sergio (Eq. 2A) - 99522-6231
Cristina (Eq. 2A) - 99944-5173

As crianças da PAIM ficarão felizes com sua colaboração! 

Carlos Alberto Bestetti
Presidente da PAIM



Aproveitamos para convidar a todos para o Bazar de Natal que a PAIM está promovendo.
Data: de 1 a 20 de Dezembro
Horário de funcionamento: 
Durante a semana -  8h00 às 17h00
Sábados - 09:00 às 16:00
Domingos - 09:00 às 12:00

PAIM - Pastoral de Atendimento e Integração do Menor
R: José Bonifácio de Andrade e Silva, 260
Anhangabaú - Jundiaí, SP
Fone: (11) 4521-0155
www.divulgapaim.blogspot.com

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Papa Bento XVI no Twitter

O Twitter oficial do Papa Bento XVI será @Pontifex, revelou o Vaticano nesta segunda-feira (03/12). O primeiro tuíte de Sua Santidade será feito no dia 12 de dezembro, na celebração da Festa da Nossa Senhora de Guadalupe. Até 14h32 de hoje (05/12), a conta oficial do Papa já tinha mais de 484.500 mil seguidores. 

O vaticano também lançou as versões da conta em português (@pontifex_PT), espanhol (@pontifex_es), italiano (@pontifex_it), alemão (@pontifex_de), árabe (@pontifex_ar), francês (@pontifex_fr) e polonês (@pontifex_pl). A conta em português já tinha mais de 18.600 seguidores no início desta tarde.

 (FOTO: INTERNET/REPRODUÇÃO)

As primeiras mensagens do Papa devem responder a questões dos internautas a respeito da fé e crenças. 

Embora acredita-se que Bento XVI, de quase 86 anos, não escreverá diretamente na rede social, fontes oficiais do Vaticano asseguram que ele aprovará todas as postagens antes de serem publicadas. 

“O dia 3 de dezembro de 2012 liga-se ao 12 de fevereiro de 1931, quando o Papa Pio IX lançava sua primeira mensagem via rádio, através da Rádio Vaticano”, afirmou António Spadaro, diretor da revista dos jesuítas Civilização Católica e especialista em novas tecnologias e comunicação digital, em comunicado oficial. Segundo ele, a presença do Papa no Twitter não é seguir “uma moda”. “É, ao contrário, uma das consequências óbvias do modo em que a Igreja nos últimos decênios, pelo menos desde Pio IX, compreendeu a sua relação com a comunicação”. 

No ano passado, Bento XVI também inaugurou o portal multimídia do Vaticano, o “News.va”, e fez um tuíte usando um tablet. Há três anos criou um site conectado à rede social Facebook.



Mensagem


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

O verdadeiro Papai Noel

De tão deturpado, esqueceu-se sua maravilhosa origem. Pois Papai Noel tem na sua fonte um homem de carne e osso, um bispo da Santa Igreja, um santo de altar! Foi São Nicolau, bispo de Myra, na ilha de Gemile, hoje no largo da Turquia. Ele faleceu rodeado de fama de santidade no ano de 326. 

Conta a tradição que o piedoso bispo soube de um pagão que tinha três filhas mas não tinha dinheiro para casá-las bem. Então decidiu — como aliás não era raro entre certos pagãos — vendé-las ou alugá-las para a prostituição, após as festas cristãs do Natal. Podemos imaginar quão lúgubre foi aquela noite de Natal para as pobres moças. Porém, o bispo São Nicolau soube do acontecido. Jeitosamente, na calada da noite, jogou pela janela três sacolinhas com dinheiro aos pés do leito de cada uma delas. No dia seguinte, elas amanheceram com o presente e a certeza de que poderiam fazer um bom casamento.

A tradição não é só verbal. Acontece que nos tempos das Cruzadas, os piratas muçulmanos devastavam as cidades cristãs junto ao mar. Myra sofreu essa cruel sorte. Para salvar as reliquias do santo bispo, marinheiros católicos as trasladaram para Bari no sul da Itália. E São Nicolau hoje é mais conhecido como São Nicolau de Bari e é representado com três saquinhos na mão em lembrança do famoso milagre.

Em 1993, arqueólogos intrigados foram a vasculhar a ilha de Gemile. Queriam saber qual catástrofe ecológica a tornara deserta. Os cientistas encontraram as ruínas de um centro de peregrinações composto de quatro igrejas, um caminho processional e uma quarentena de prédios em torno do primeiro túmulo de São Nicolau. Nos restos das paredes acharam pintada em várias formas a história de São Nicolau e as moças, além de muitos outros milagres natalinos que o santo foi praticando na Idade Média.

Os ex-votos testemunhavam que a tradição dos presentes de Natal para as crianças (e também para os adultos em forma de graças e auxílios sobrenaturais e até materiais) é bem verdadeira. A grosseira deturpação hodierna de São Nicolau não desqualifica em nada a maravilhosa tradição medieval.

Se em vez do laicizado Papai Noel, os homens tivessem devoção a São Nicolau não obteriam presentes espirituais e até materiais que enchem a alma, portadores de imponderáveis e bençãos de que a humanidade perdeu a lembrança?


segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Carta Mensal Eletrônica

As facilidades do mundo eletrônico continuam se ampliando. Desta vez, a grande novidade é o lançamento da Carta Mensal eletrônica, como uma opção de acesso mais rápido do nosso veículo de comunicação, além dos já existentes: no site e em impressão gráfica.

Com esta nova ferramenta, você pode ler com os mesmos recursos visuais que tem quando está com a Carta Mensal em mãos, e com a praticidade de poder fazer isso em qualquer lugar do mundo (desde que se tenha acesso à internet).

O visual é este:

Clicando nas bordas das páginas, elas são "folheadas" e clicando sobre o texto/foto, você se aproxima (zoom).

Quer experimentar esta novidade? Clique aqui, depois clique na imagem da Carta Mensal e boa leitura!

.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Pe. Caffarel - Um Profeta do Casamento

Matrimônio, Sacramento da Aliança

«Um verdadeiro lar cristão é uma grande obra de Deus, o brilho do Sacramento do Matrimônio é o reflexo da imensa ternura que une Cristo à Igreja»

Na sequência do seu encontro com os casais, o Padre Caffarel dedicou-se a aprofundar o mistério do sacramento do Matrimônio, trazendo a sua reflexão teológica à Igreja. A sua reflexão sempre se apoiou na meditação da Palavra, mas também na observação, na escuta, na participação dos casais e nos contributos de teólogos respeitados. A partir de inquéritos minuciosos elaborou uma visão renovada do casamento cristão e da sexualidade. O padre Caffarel participou muito especialmente na renovação do pensamento da Igreja sobre o Matrimônio. Foi, neste campo, um agente primordial pela sua participação em comissões pontifícias preparatórias do Concílio e pela sua preocupação com a investigação e a recolha de informação. São disso exemplos o relatório sobre "o casamento cristão na Igreja de 1960", e o número do Anneau d’Or "Casamento e Concílio: uma renovação do casamento para uma renovação da Igreja". A pertinência do seu pensamento será afirmada, primeiro por João XXIII e, depois, sobretudo por Paulo VI, por ocasião dos encontros das Equipas de Nossa Senhora em Roma em 1959 e em 1970. 

Fonte: Site Amigos do Pe. Caffarel
http://www.henri-caffarel.org/pages_pt/mariage.html

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Formação de Casais Responsáveis 2012 (Pré Eacre)

Aconteceu no último sábado, 24 de novembro, o encontro de Formação de Casais Responsáveis de Equipe (até então chamado de Pré Eacre), com os casais eleitos para o ano de 2013.

O dia começou com um café da manhã e a confraternização dos todos que iam chegando. Os casais mais uma vez, entenderam a importância do encontro e vieram em grande número. As 8:30 foi dado início aos trabalhos, com as boas vindas dos CRS, Angela e Vail (Setor A) e Sanderli e Toninho (Setor B).


Em seguida, o casal Eliana e Luiz Roberto (CL Setor B) fez a Oração Inicial, Leitura da Palavra e reflexão do tema "Vai e também tu, faze o mesmo", destacando pontos importantes estudados no último Encontro Internacional (Julho/2012).

As 9:00 o casal Cleide e Sérgio (CL Setor A) iniciou a "Apresentação da Estrutura do Movimento", trazendo as informações sobre o nosso movimento, tema de grande importância principalmente aos casais mais novos, que puderam comprovar toda complexidade estrutural que existe para nosso apoio.

Em seguida o casal Márcia e Marcelo (CL Setor A) falou do "Papel do CRE", de tudo que estará envolvido no cumprimento dessa missão. Eles meditaram a passagem de Lucas 10, onde Jesus conhece as dificuldades da missão e envia os discípulos dois a dois, mostrando a necessidade humana de caminhar sempre juntos, e que quanto mais difícil é a missão mais é preciso a parceria, encorajando um ao outro nos momentos de desânimo e dificuldades. Foi falado do perfil do CRE, do espírito de responsabilidade, dos objetivos, enfim, tudo que está envolvido quando se assume esta missão.

Uma pequena pausa, uma música para animar e continuamos nossa manhã de formação com o tema apresentado pelo CRR (Casal Responsável Regional), Kátia e Alexandre, "Prioridades do Movimento".  Foi nos mostrado os pontos importantes que são e serão priorizados pelas Equipes de Nossa Senhora, reiterando nossa missão em sermos sinal de amor conjugal, de amor em família e em nossas pequenas comunidades (equipes).

Um intervalo para o café e em seguida foi apresentado o tema "Reunião Prévia e de Equipe" pelo Wagner (da Marilena - Eq 5B). Ali foi discutido pontos mais práticos, com o que se deve ou não ser feito, a melhor maneira para lidar com os pontos essenciais da reunião e toda importância de seguir as orientações do movimento.

O casal Luciana e Beto veio de Louveira para nos falar um pouco sobre a "Função do Casal Ligação" e a importância desta função dentro do movimento. Como deve ser o relacionamento entre CRE e CL, quais as oportunidades de encontro, qual a obrigação de cada um. 


Para encerrar a manhã, o casal Gláucia e Maurício (CL Setor B) apresentou o tema "Contribuição Mensal", tirando as dúvidas dos casais quanto a este tema e explicando toda importância deste ato, tudo o que é garantido com isso e a que é destinado. 

Fechamos com um filme motivacional do renomado palestrista Daniel Godri, que tembém é equipista em Curitiba. Em seu vídeo ele nos falou que em tudo que fazemos, podemos fazer melhor! A importância de querer se fazer bem para atingir os resultados. Em seguida, foi servido almoço e o pessoal pode aproveitar mais este intervalo para troca de informações e confraternização.

As 13:30 foram retomadas as atividades, com o casal Sanderli e Toninho (CR Setor B) apresentando o "Calendário de Atividades 2013". Ali pudemos discutir os principais eventos do próximo ano, as responsabilidades e todo o planejamento feito para que possamos prestigiar as atividades promovidas pelo movimento.


Logo depois, o casal Érica e Wilson (CL Setor A) falou sobre o "Blog das ENS Jundiai", apresentando a importância desta ferramenta para os equipistas jundiaienses, sua funcionabilidade e todos os recursos oferecidos, como os compromissos do mês, aniversariantes, notícias, fotos, quadrante on-line, atividades profissionais dos equipistas, etc. Foi destacado ainda a necessidade de se manter os endereços de email sempre atualizados, para o envio de informações.

Por volta das 14:20 recebemos o Pe. Márcio Felipe (SCE Setor A) para nos apresentar "A função do SCE/AET", tema muito elogiado pelos equipistas presentes, que falava desta rica troca de experiencias entre os sacramentos da Ordem e do Matrimônio, a importância de um para outro e com exemplos e citações, tudo de forma cativante e envolvente, como é característico do Pe. Márcio.

Em seguida foi a vez do tema "A importância da Reunião Mista" ser apresentado pelo Inácio (da Eda - CL Setor A). Foi destacado então, que este ponto quer ser uma partilha de encontro de irmãos com Cristo e, sob sua palavra todos ficam encharcados da água viva que Ele nos oferece, podendo assim nos transformar e nos converter. Foi apresentado como é planejado, como é feito e para que é feito tudo isso, de forma que os CRE se conscientizem da importância da participação de sua equipe.

Com isso encerramos as palestas. Foi apresentado em seguida, outro vídeo motivacional de Daniel Godri que nos mostrava Jesus como o líder perfeito. Mais um intervalo,  um cafézinho e partimos para a formação dos Grupos, onde foi levantado um tema para discussão e proposto uma dinâmica.


Desde o início do encontro, foi apresentado aos casais uma caixinha onde eles poderiam depositar suas perguntas e/ou dúvidas e que então, foram respondidas na sala de palestras, pelo Seminarista Anderson (AET Eq 21B), que depois disso, fez uma dinâmica de encerramento, com a imagem de Nossa Senhora Aparecida. Foi um momento emocionante, muito bonito e que ficou marcado no coração dos que participaram.



Foi um dia maravilhoso onde todos saíram abastecidos para a missão! Que o Senhor faça cada dia mais, muitas maravilhas em nós!

Érica e Wilson Costacurta
Equipe 15A - Jundiaí/SP


-  Todas as fotos deste dia podem ser vistas aqui.
- Os arquivos das apresentações (palestras) estão disponibilizados na seção Documentos, na coluna lateral deste blog.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Reformulação do Blog

Amigos equipistas,

Nosso Blog está sofrendo algumas alterações, adaptações. Enquanto não pudermos ter nosso site próprio, vamos no adaptando por aqui, de forma que, além dos posts, caibam todas as informações úteis aos equipistas de Jundiaí.

Aceitamos sugestões e críticas também! O blog é de todos nós!

Abraços!

Equipe do Blog das ENS Jundiaí

sábado, 17 de novembro de 2012

Colegiado Setor A

Na última segunda feira, dia 12 de Novmbro, o setor Jundiaí A se reuniu com todos os Casais Responsáveis de Equipes de 2012 e ainda os casais eleitos para 2013, para a última Reunião de Colegiado deste ano. 


O encontro teve momento de formação com o Pe. Márcio Felipe (SCE do Setor A), momento de troca de pastas entre os Casais Responsáveis e uma acolhida dos novos pelos Casais de Ligação, havendo assim, uma prévia configuração de como ficará o colegiado para 2013. Ao final os casais se confraternizaram.

Veja todas as fotos deste dia, aqui.
.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Balanço

Novembro, mês do Balanço nas Equipes de Nossa Senhora! Oportunidade de rever a vida da Equipe, de forma amadurecida e fraterna, como disse Pe. Caffarel, isto é, de forma exigente, porém com o objetivo de engrandecer. Por isso, anualmente todas as Equipes realizam a esperada Reunião de Balanço, momento marcante para que as Equipes possam caminhar sob a luz do Espírito Santo, após uma avaliação, mediante a qual se verificam falhas e omissões cometidas durante o ano. Deve- se neste momento realçar as buscas atingidas no tocante à santidade, e pedir perdão pelos erros e faltas de todos.

Nesta reunião, destaca-se a partilha dos casais com os demais, sobre as dificuldades e os sucessos alcançados na caminhada do Movimento, na vida conjugal e pessoal, além de reconhecer o que é preciso fazer para proporcionar o crescimento de cada um e de todos da Equipe de base.

Há necessidade, nesta ocasião, de reflexão, humildade e capacidade de perdão. Portanto, é esperado de Deus a Sua misericórdia em relação às atitudes no relacionamento com os amigos-irmãos, para depois renovar os compromissos de serem fiéis aos princípios do Movimento das ENS criado por Pe. Caffarel, nosso fundador.

Desta forma, é indispensável fazer uma avaliação, não só individual, mas também em casal e em Equipe. Partilhar, reconhecer os progressos e retrocessos no transcorrer do ano, em relação aos PCEs e esforçarem-se para se tornarem melhores na espiritualidade e santidade.

Enfim, o Balanço, nas Equipes de Nossa Senhora oferece a análise da dimensão da descoberta de si próprio, a partir da seguinte reflexão: Fomos capazes neste ano de atingirmos um crescimento espiritual, seja individual, familiar, pessoal e em Equipe?

Baseando–se nestas questões desejamos que todos façam um ótimo Balanço, com sabedoria e prudência, sob a Luz do Espírito Santo, a proteção de Maria e de seu Filho Jesus Cristo, em busca do objetivo único e maior, que é a Santidade.

Maria José e Wilmar 
Eq.02C - N. S. da Anunciação 
Juiz de Fora-MG
Carta Mensal - Nov/2012

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Cura do Matheus

Foi no final do ano passado que foi descoberto que o Matheus estava com leucemia. Deu-se início ao tratamento no Grendacc, em meios as orações de toda igreja de Jundiaí. Neste periodo a Juliana e o André (Equipe 7A) foram fortalecidos pelo conselheiro da equipe, Pe. Marcio Felipe, contando ainda com o apoio de toda equipe. Enquanto nós, avós Cida e Zenilton (Equipe 7B), contamos com o conselheiro da nossa equipe, Pe. Samuel.

Dia 03 de Novembro, Pe. Márcio celebrou uma Missa em Ação de Graças pela cura do Matheus. Seguem algumas fotos.




Fizemos outra Missa, dia 11 de Novembro, 9h30, também em em Ação de Graças por esta cura. Pe. Samuel e o Pe. Marcelo nosso paróco, da Igreja nova Jerusalém, celebraram.

Também por ocasião da festiva do final de ano os conselheiros irão celebrar junto com as duas equipes a vitória de Deus na nossa vida.

Agradecemos a todos do movimento pelas orações e carinho que nos ajudaram a passar por esta tribulação.

Cida e Zenilton
Equipe 7B - Jundiai-SP

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

1° Encontro Provincial de Conselheiros Espirituais da Província Sul I

Neste dia 05 de novembro realizou-se no Centro Pastoral Santa Fé, em Perus/SP, o 1° Encontro Provincial de Conselheiros Espirituais da Província Sul I. O encontro teve a participação de 80 pessoas entre eles os Sacerdotes Conselheiros Espirituais e um grande número de Acompanhantes Espirituais (Diáconos, Irmãs e Seminaristas). O Encontro iniciou-se às 8h da manhã com a celebração das Laudes. Em seguida, no Auditório, houve uma pequena apresentação dos casais responsáveis e um pequeno vídeo mostrando as regiões que compõem a Província Sul I. O Casal Hermelinda e Arturo - Casal Responsável Provincial - deu boas vindas aos participantes.


No período da manhã tivemos duas palestras. Na primeira, o Pe. Paulo Renato (SCE da Província Sul I) nos apresentou o Tema de Estudo do próximo ano de 2013 “O Caminho da vida espiritual em casal” e o Lema “Se alguém tem sede, venha a mim e beba” (João 7, 37). A segunda palestra teve como tema: “O Papel do CE nas ENS” e o ministrante da palestra foi o Pe. Flávio Cavalca, que em suas palavras explanou que “foi Deus quem deu a cada um a graça de serem o que são... Todos têm o dom do serviço, da oração, da compaixão e do amor... Nas ENS recebemos a graça de exercer o tríplice múnus: ensinar, santificar e reger”.

Depois desses momentos tivemos um plenário, onde os participantes trocaram pequenas experiências e fizeram perguntas aos palestrantes. O Encontro encerrou-se às 13h30 com a Celebração da Santa Missa seguida de um almoço de confraternização.

Pe. Julio de Freitas, Pe. Milton, Pe. Márcio Felipe
e Sem. Lupércio
Dos Setores A e B de Jundiaí, participaram, além de mim, Pe. Julio (SCE Eq. 15A), o Pe. Márcio Felipe (SCE Eq. 6A, 7A e do Setor A), o Pe. Milton (SCE Eq. 17A), o Diác. Mauro (AE Eq. 20A), o Sem. Lupércio (AE Eq 1B e do Setor B) e as Irmãs Missionárias de Cristo (AE Eq. 13B).

Pe. Julio de Freitas Alves
SCE Equipe 15 A - Jundiaí-SP

domingo, 4 de novembro de 2012

Colegiado Setor B - Outubro/2012

No dia 29 de outubro o Setor Jundiaí B realizou o Colegiado, onde foi colocado o tema "Pastoral Familiar" que é um ponto de unidade do movimento este ano.


O casal Olga e Valdir, que são da Pastoral Familiar da Diocese de Jundiaí, nos fez uma apresentação sobre a Pastoral Familiar. No Brasil, a Pastoral Familiar começou a sistematizar a sua caminhada na década de 80, onde foram realizados vários encontros nacionais com os representantes de alguns movimentos e serviços familiares. Em 1981, no IV Sínodo dos Bispos, foi promulgado a Exortação Apostólica Familiaris Consortio sobre a missão da familíla cristã no mundo de hoje.

A Pastoral Familiar não é um Movimento, nem uma Associação que surgiu para competir com os Movimentos e Serviços já existentes na paróquia, mas procura respeitar e acolher o que já existe: cada um com o seu carisma e a sua riqueza. Muitas ações podem ser desenvolvidas em conjunto com as pastorais, movimentos e serviços.

A estrutura da Pastoral é a seguinte:
- Assessor Eclesiático
- Casal Coordenador
- Casal Vice Coordenador
- Casal Secretáriado
- Casal Tempos Fortes
- Setores

O casal Olga e Valdir mostrou o que é os Setores e Tempos Fortes. Eles deixaram no final da apresentação seu contato: 7320-1772 / 8141-1624, olgaspadoni@gmail.com.

Toninho e Sanderli
Casal Responsavel Setor Jundiai B

Todos os Santos

Ser Santo é permitir que Deus reine em nós.

Ser Santo é estar próximo da perfeição. É o próprio Jesus que exorta a imitarmos a Santidade de Deus; “Sede, portanto, perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5.48).

Em novembro, concluímos o ano litúrgico com a grande solenidade de todos os Santos e de Jesus Cristo, Rei do universo. A liturgia de todos os Santos indica que somos eleitos para o céu, estamos a caminho da Pátria definitiva, a Jerusalém Celeste, onde nos encontraremos diante do trono e do cordeiro.

Os Santos apresentados oficialmente pela Igreja servem-nos de modelo, de exemplo, de intercessão, de motivação, eles e elas nos asseguram que com a Graça de Deus é possível chegar lá.

Os Bem-Aventurados, os Santos e Santas, não são um “Pequeno Resto”, mas, sim, uma multidão imensa de todas as raças, nações, línguas e povos, são aqueles que lavaram e branquearam suas vestes no sangue do cordeiro e estão em íntima comunhão com Jesus Cristo, o filho de Deus (Ap.7,13-17).

Ter o ideal de Santidade não significa fuga do mundo, ou se esconder dos grandes problemas econômicos, sociais, políticos..., não é também fuga do mundo material para se viver uma realidade puramente espiritual. Santidade se conquista nesta terra, com todas as dificuldades desta vida. Ser Santo é sinônimo de luta. E nunca desistir. Somos vocacionados à Santidade como pessoas que levam uma vida normal: vestimos roupas normais, casamos, temos filhos, convivemos numa sociedade com toda sua problemática vigente, trabalhamos, nos divertimos, nos alegramos, nos angustiamos..., mas, buscamos dar testemunho da Fé, numa vida pautada pelo amor e fidelidade a Cristo.

Ser Santo é ter o ardente desejo de construir uma nova sociedade, é se tornar discípulo do reino.

Ser Santo é romper com o mundo egoísta da busca de si mesmo; é o converter-se à pobreza evangélica, é renúncia à cobiça e o desapego das riquezas; é ser solidário com os excluídos, ser manso diante de tanta violência, diante de uma sociedade injusta; é termos fome e sede de justiça, num mundo de apelos aos prazeres pecaminosos; é nos mantermos puros de coração; é procurar a paz como um Dom e sermos pacificadores.

O Compromisso do Matrimônio, a vida conjugal e familiar, a Espiritualidade das Equipes de Nossa Senhora, inspirada pelo Espírito Santo e indicada pelo Padre Henri Caffarel, são caminhos para uma vida de Santidade. Ser Santo é a plena realização de uma vida humana e cristã.

Ver a Deus é desejo e esperança suprema do ser humano. No céu celebraremos em plenitude o que aqui temos sacramentalmente. A plenitude da Santidade está reservada para a eternidade, quando nos encontraremos diante do trono do cordeiro e proclamaremos então: “A salvação pertence ao nosso Deus que está sentado no trono e ao cordeiro” (Ap. 7,10 ).

Diácono Adonis Souza Pinto 
Eq. 07 - N. S. Rosa Mística 
Caçapava-SP
Carta Mensal  - Novembro/2012

Tema e Lema de Estudo para 2013

Tema: "O caminho da vida espiritual em casal" 
Lema: "Se alguém tem sede, vinde a mim e beba" (Jo 7,37)


sábado, 27 de outubro de 2012

Mensagem


Convite PAIM

Clique para ampliar



É com grande alegria que convidamos para a apresentação solene dos 10 anos do Coral DESPERTANDO da PAIM. 

Venham prestigiar ! 

Cristina Fornazari (do Edson)
Eq. 2A - Jundiai/SP
Coordenadora Geral da PAIM



PAIM - Pastoral de Atendimento e Integração do Menor
Paróquia Santo Antônio
R. José Bonifácio de Andrade e Silva, 260
Anhangabaú - Jundiaí, SP
Fone: (11) 4521-0155
www.divulgapaim.blogspot.com.br


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Encontro com Deus

Lc 15, 11-21 – Encontro com Deus (3° Encontro)

Podemos afirmar que esta é a mais famosa das parábolas de Jesus. Com a parábola do Filho Pródigo, Cristo ilustra a importante aceitação no Reino de Deus. Neste trecho do evangelho encontramos a narrativa sobre o Pai e seus dois filhos, sendo o centro desta parábola é a prodigalidade do pai no amor por esses filhos, que o torna capaz de desprezar o desperdício dos bens materiais, para acolher e amar o filho mais novo. 

Diante deste belíssimo trecho narrado por Lucas, posso afirmar a vocês casais equipistas, que chegamos ao ponto mais alto do nosso retiro: o encontro com Deus. É neste momento da vida em que cada casal é convidado a deixar-se perceber quem de fato é Deus. 

A dureza de coração do ser humano não impede que Deus continue amando aqueles que se perdem no caminho. Vejamos: exigindo a sua parte da herança e partindo para outras terras, o filho mais novo corta os laços com a família, sem tristeza alguma e leva tudo consigo. Nesta atitude fica claro que a sua volta é quase remota. Essa partida é sentida por demais pelo Pai. Porém, o seu coração paterno continua sendo o mesmo, pelo qual ele ama sem limites. É um amor incondicional, dadivoso. Em outras palavras: é um amor Ágape! 

Uma pergunta deve estar surgindo no coração de vocês: mas o que tem a ver esta parábola com a nossa vida em casal? A resposta é muito simples. Todas as vezes em que o casal não é capaz de viver a reconciliação, o amor, a cumplicidade, corre o risco de viver como este filho mais novo, que não se importa se vai ferir ou não o pai. Só uma coisa a ele é importante: pegar os bens, deixar a família em nome de uma suposta liberdade, que no futuro traz o sofrimento. 

O encontro privilegiado com o Pai se dá pelo arrependimento. O encontro do esposo e da esposa se dá quando ambos são capazes de se deixarem atrair por este Pai misericordioso, que permite, mesmo diante das contrariedades da vida humana, que o casal diante das crises não queira fugir, mas sim viver arraigado e edificado em Cristo. 

Foi preciso que o filho mais novo fizesse a experiência do deixar o pai, para reconhecer que a ausência de Deus se dá quando o ser humano quer ser o “deus” da sua própria vida. 

Que atitude singular o pai tem para acolher o filho: sem nenhuma frieza, corre para encontrá-lo, abraça-o e enche-o de beijos. Eis a maior manifestação de amor que o pai tem para com o seu filho. Não cobra nada. Não exige nada. Em outras palavras, o pai deixa que possa se concretizar o que o apóstolo Paulo mais tarde escrevera: “Se eu falasse todas as línguas, as dos homens e as dos anjos, mas não tivesse amor, seria como um bronze que soa ou um címbalo que retine. Se eu tivesse o dom da profecia, se conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, se tivesse toda a fé, a ponto de remover montanhas, mas não tivesse amor, nada seria. Se eu gastasse todos os meus bens no sustento dos pobres e até me fizesse escravo, para me gloriar, mas não tivesse amor, de nada me aproveitaria. O amor é paciente, é benfazejo; não é invejoso, não é presunçoso nem se incha de orgulho; não faz nada de vergonhoso, não é interesseiro, não se encoleriza, não se alegra com a injustiça, mas fica alegre com a verdade. Ele desculpa tudo, crê tudo, espera tudo, suporta tudo” (1 Cor 13). 

Torna-se completa esta parábola com a volta do filho, que nos braços do pai é acolhido com misericórdia. Aqui podemos recordar a parábola do Bom Samaritano (Lc 10, 25-37): o agir com misericórdia expressa a proximidade do samaritano com o homem que estava caído. Isso acontece com o pai que ao acolher o filho age com amor e manifesta a sua proximidade agindo com misericórdia. 

Hoje, o grande desafio dos casais é de deixar-se fazer próximo de quem de fato necessita da proximidade. O esposo que necessita experimentar a misericórdia de Deus em sua esposa e a esposa que por sua vez, quer encontrar no esposo não um pai, mas um homem que seja capaz de amá-la e acolhe-la. Acima de tudo, há necessidade de um agir com misericórdia, diante das situações conflitantes que os impede de viver a santidade do matrimônio. 

Eis que as Equipes de Nossa Senhora permitem que os casais possam viver este encontro com Deus. É no sacramento do matrimônio que o Pai se manifesta e proporciona que cada casal possa deixar-se conduzir por uma misericórdia que não pune, mas acolhe, ama, perdoa e santifica. Acima de tudo, permite ao casal, a cada dia, viver um momento privilegiado de encontro com Aquele que é capaz de amar sem medidas. 

Diante desta reflexão surgem alguns questionamentos: sou como o pai? Sou como o filho mais novo? E mesmo no texto acima, não tendo me referido ao filho mais velho, podemos questionar também: sou como o filho mais velho? 

É numa perspectiva de misericórdia e amor que cada casal poderá encontrar respostas para tais questões. 

Não se esqueçam: somente o AMOR sincero é capaz de transformar a vida humana, permitindo assim que homem e mulher vivam a gratuidade da verdadeira liberdade em Cristo!

Pe. Márcio Felipe de Souza Alves
SCE das Equipes 6A e 7A e do Setor Jundiaí A
* Tema apresentado no Retiro Anual das ENS Jundiai (19, 20  e 21/Out/2012)

Quem é o outro para mim

Gn 2, 18-24 - Quem é o outro para mim (2° Encontro)

Este texto bíblico, que hoje nos é apresentado, permite entender que Deus, na sua infinita misericórdia, cria a mulher, pois reconhece que não é bom para o homem ficar sozinho. Aqui a preocupação do autor sagrado é de justificar o relacionamento conjugal, isto é, a partir de um encontro com o outro que o homem se permite a fazer um encontro com aquele (a) que o (a) possa completá-lo (a). 

A partir deste texto e levando em conta o seu contexto, encontramos a posição da mulher que era de apoio ao marido, ou seja, como bem apresenta a narrativa: “vou dar-lhe uma auxiliar semelhante a ele”. A palavra auxiliar nos faz entender o desejo do coração do Pai: a partir de um relacionamento interpessoal o ser humano é capaz de encontrar o sentido de sua existência em alguém que possa completá-lo. Eis a beleza do sacramento do matrimônio: no primeiro momento o olhar atrai. Aquele que se sente atraído se questiona: será que é isso que estou sentindo mesmo? Será que serei correspondido? 

Diante de tantos questionamentos podemos encontrar as possíveis respostas no agir divino: um dos aspectos mais admiráveis é o fato do Senhor formar a mulher (uma auxiliar) de uma costela, pois segundo a antiga tradição, costela é o mesmo que vida. Não uma vida qualquer, mas a vida que permite o homem ser completo, ou seja, saber que é outro para si. 

É a partir deste encontro com o outro, que o homem recebe a graça de encontrar-se com as maravilhas de Deus: Eva, ou seja, a mãe dos viventes, aquela que tendo recebido a vida de Deus, será um sinal de vida para o homem. 

Vocês, casais das Equipes de Nossa Senhora, não encontram a vida em Eva. Mas a fé em Deus, manifestada no agir da nova Eva (a mulher da aliança), a Ave Cheia de Graça, é que lhes possibilita viver o encontro consigo mesmo. Nesse encontro cai por terra tudo o que estava aprisionado e assim lhes permite viver numa dinâmica do amor a Deus, se fazendo próximos daqueles que de fato necessitam dessa proximidade. 

A experiência matrimonial, que engloba os desafios, desafetos e desencontros, permite ao casal equipista perceber que a vida a dois acontece no ordinário da vida e que as pequenas coisas podem ter sido deixadas de lado. São estas pequenas coisas que podem tanto fazer perdurar como exterminar a vida matrimonial. Vale recordar que o amar e o apaixonar são duas situações da vida humana que podem ajudar ou desestruturar a vida conjugal. 

A partir do encontro de um com o outro sugiro a vocês fazerem uma experiência: Convido-os a permanecerem juntos. Que este permanecer possa permitir que vocês se toquem, se abracem, que deitem um no colo do outro e que estes gestos ,de fato, sejam para vocês o estar juntos. Não é preciso falar nada, mas podem se tocar, se abraçar, deitar no colo, enfim, estar juntos, mas sem falar nada. Tendo seguido estes passos façam uma partilha de como foi este reencontro com este outro. 

Pe. Márcio Felipe de Souza Alves
SCE das Equipes 6A e 7A e do Setor Jundiaí A
* Tema apresentado no Retiro Anual das ENS Jundiai (19, 20  e 21/Out/2012)


Encontro consigo mesmo

Gn 3, 1-13 - Encontro consigo mesmo (1° Encontro)

Neste pequeno trecho do livro do gênesis podemos perceber que o homem e a mulher estão nus, sem, contudo sentirem vergonha. É mais do que a mera observação de que não estão vestidos. A continuação da narrativa permitirá a cada casal equipista perceber que a “nudez” simboliza a nudez do homem e da mulher com Deus. Nesta relação do homem com Deus é possível perceber que não existem máscaras. O estar nu, consiste no estar diante de Deus e ter a absoluta certeza que não é preciso ter vergonha. É a partir de uma ruptura, ou seja, quando o homem deixa-se conduzir pela serpente é que sente uma vergonha profunda diante do chamado de Deus: “Adão, onde estás?” 

Esta pergunta Deus faz a cada casal, quando se desviando do caminho da santidade conjugal, sente vergonha de estar diante de Deus sem máscaras. A vergonha que o ser humano sente diante do erro cometido, é o medo de se apresentar diante do Pai com suas vitórias, derrotas, alegrias, tristezas, na saúde e na doença. 

Neste início de encontro todos vocês são convidados a perceber onde estão neste momento de suas vidas, lembrando, todas as coisas que os envolvem, permitindo que assim possam perceber que, como Adão, o casal tem medo e se esconde. 

A lei da física nos permite entender o óbvio, ou seja, toda ação tem uma reação contrária. Neste sentido nos torna claro que a conseqüência do pecado do homem e da mulher é a consciência da nudez, que procuram remediar costurando folhas de figueira e delas fazendo tangas, para “amenizar” a vergonha que estavam sentindo. 

No diálogo de Deus com Adão, notamos que este, em vez de responder a pergunta de Deus “Onde estás?” dá como razão de ter-se escondido o simples fato de estar nu. O argumento é válido, apesar do fato não parecer verdade. 

Diante de Deus os casais não podem encobrir suas culpas e suas vergonhas, pois é em Deus e amparados pelas Equipes de Nossa Senhora, que eles se permitem receber o auxílio necessário para responder a tal questão: “Onde estás?” 

Neste sentido, para ajudar vocês, quero lembrar que, Adão quis fazer uma experiência de Deus, partindo de Deus mesmo e acabou se perdendo, durante essa experiência. Isso porque não soube reconhecer que, a partir do seu limite humano, do seu encontrar-se consigo mesmo, seria possível encontrar-se com Deus. Todo casal ao fazer uma experiência de encontro consigo mesmo permite a si e aos outros um encontro privilegiado com Deus. 

Sugiro que vocês possam viver um deserto onde cada um se permita fazer a experiência de se deixar questionar por Deus a respeito de si mesmo: “Onde estás?” 

Pe. Márcio Felipe de Souza Alves
SCE das Equipes 6A e 7A e do Setor Jundiaí A
* Tema apresentado no Retiro Anual das ENS Jundiai (19, 20  e 21/Out/2012)

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Retiro Anual - 19 a 21/Out/2012

Esse retiro foi para nós um GRANDE ENCONTRO...

Nele relembramos os três encontros que nos realizam enquanto seres humanos: o encontro consigo mesmo, com o outro e com Deus!

Antes de pensarmos num encontro com Deus e com os outros, precisamos de um encontro com a nossa verdade, com aquilo que eu somos. Devemos ir até o fundo do ser, lá onde se encontram as “máscaras” e os defeitos que sempre procuramos esconder das pessoas. 

Então nos tornamos capazes de nos encontrarmos com os outros. O outro sempre nos revela alguma coisa. Para nós, casais das Equipes de Nossa Senhora, é o encontro com nosso próximo mais próximo: nosso cônjuge, Dom de Deus em nossas vidas. Ele é o outro que faz parte da nossa história, uma relação de amor, onde somos parceiros, não adversários.

Depois de descobrirmos a importância do outro em nossa história, descobrimos também que nesta relação fraterna há a presença do Outro, aquele que está a nossa espera, de braços abertos, como um pai misericordioso e amoroso. O encontro com Deus é algo indescritível. Somente quem ama é que é capaz de encontrar-se com Deus. É nesse encontro com Deus que nos realizamos plenamente.
Somos chamados a viver o sacramento do matrimônio de um modo muito prático: atendendo um ao outro nas suas necessidades mais pessoais; esforçando-nos seriamente por comunicar um ao outro nossos pensamentos e sentimentos pessoais, de tal forma que nossa união continue sempre viva e em crescimento.

Ao querido Pe. Márcio Felipe, nosso agradecimento por ter proporcionado aos casais, neste retiro, esses momentos de encontros tão fecundos! Que Deus o abençoe!

O Senhor fez por nós maravilhas! Santo é o seu Nome!

Marta e Edison Benatti
Eq. 17A - Jundiaí-SP


Todas as fotos deste 3º Retiro Anual promovido pelas Equipes de Nossa Senhora em Jundiaí, estão aqui.


Convite para o 1º Simpósio para a Vida e a Família


Reforçamos o convite para o 1° Simpósio que será realizado esta semana, nos dias 25 e 26 de Outubro de 2012 (quinta e sexta-feira).

Clique para ampliar

Mais informações com o casal Ana Maria e Osmar, fone 4582-1303.

Compareçam!

Curso sobre o Ano da Fé

Estimados no Senhor! A paz de Cristo!

Convido você, sua família e comunidade a participarem de um curso sobre o Ano da Fé ministrado por mim, através do sistema EAD (Ensino à Distância). 

COMO FAZER? 

Faça sua inscrição através do portal http://www.eadseculo21.org.br/ead/ 

A inscrição é gratuita. Lá você terá informações sobre como proceder para acompanhar as aulas e participar do curso. 

Pe. José Alem, cmf 
Congregação dos Missionários Claretiano



Ano da fé (2012-2013)

Através de um documento intitulado Carta Apostólica sob forma de Motu Proprio Porta Fidei o papa Bento XVI proclamou o Ano da Fé a ser realizado de outubro do ano de 2012 a novembro de 2012.

O Ano da Fé é convite para uma autêntica e renovada conversão ao Senhor, único Salvador do mundo. «Pelo Batismo fomos sepultados com Ele na morte, para que, tal como Cristo foi ressuscitado de entre os mortos pela glória do Pai, também nós caminhemos numa vida nova» (Rm 6, 4). 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Mês de outubro – Mês missionário

“Ide por todo mundo e anunciai o Evangelho... 
Eis que Eu estou convosco até o fim dos tempos” 
(Mt 28,19-20)


O mês de outubro é o mês em que a Igreja nos convida a pensar a sua e a nossa dimensão missionária.

Quando falamos em “missão” o que é que vem a sua cabeça?

Certamente você deve pensar logo que missão é: eu, assim como muitos padres, religiosas, leigos etc. largar a casa, a família, os amigos e ir para uma terra distante e ajudar na evangelização.

O sentido etimológico da palavra missão significa enviar. É o envio de uma pessoa ou de pessoas para determinado lugar ou situação com determinada finalidade ou tarefa. Mas isso não especifica o caráter da missão. O conceito religioso de missão é mais amplo, mais envolvente. Compreende a pessoa que envia uma mensagem, o enviado que anuncia e o destinatário que é receptor desta mensagem.

No seu livro “Missão para todos”, Pe João Panazzolo nos diz que “A missão no NT, refere-se, primeiramente, ao pai que envia Jesus, o Enviado, para fazer sua vontade e consumar sua obra e o envio dos doze e dos outros discípulos (as) para serem suas testemunhas e anunciarem o Evangelho a todas as nações até os confins da terra. A missão expressa, antes de tudo, a missão de Jesus, em sua origem na Trindade, do Pai, pelo Filho, no Espírito Santo, a partir do mistério da encarnação e da redenção, mistério pascal, para salvação plena de toda a humanidade, comunicando à Igreja missionária, como enviada a caminho”.

Ou seja, uma Igreja que não é missionária perde sua característica fundamental: ser missionária, e deixa de ser Igreja, esquecendo sua mensagem específica: anunciar Jesus Cristo vivo e ressuscitado, “o mesmo ontem, hoje e sempre” (cf Hb 13,8).

Diante do exposto gostaria, meu caro leitor, de provocar um pouco: Você, por acaso, já ouviu a frase: “não adianta eu tentar arrumar a casa dos outros enquanto a minha está uma bagunça”?

Pois bem, você que agora está lendo este texto certamente é um equipista, e, se equipista, também missionário, ou por algum motivo esta carta chegou às suas mãos, gostaria de lhe perguntar: Como está sua casa? Sua família? Seus filhos (as)? Você tem sido em casa aquilo que você é na rua? Você tem tratado os seus como você tem tratado os de fora? Quanto tempo você investe na sua família? Você é um pai ou uma mãe presente?

Nós facilmente somos tentados, porque mais fácil ou mais cômodo, pensar que missão é sair. Mas gosto sempre de pensar a missão voltada para mim em primeiro lugar. Pensar como estou. Se ser missionário é levar Jesus ao outro, primeiro eu preciso tê-lo para dá-lo, porque ninguém dá aquilo que não tem.

Por isso, meu querido irmão, minha querida irmã, deixemo-nos evangelizar para que possamos ser verdadeiros evangelizadores. O bom missionário é aquele que, como os apóstolos, fica primeiro na companhia de Jesus (cf Mc 3,14-15) para, aí sim, ser enviado em missão. Porque aquele que não aprender a escutar a Deus, pouco ou quase nada saberá falar d´Ele. Fraternalmente,


Padre Rodney Henriques 
SCE Região Norte III 
Juruti-PA
Carta Mensal - Outubro/2012

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Ano da fé

No dia 11 de outubro de 2011, o Papa Bento XVI, através da Carta Apostólica PORTA FIDEI, convocou a Igreja para viver O ANO DA FÉ, que começa nesse mês, no dia 11 de outubro de 2012, 50° aniversário da abertura do Concílio Vaticano II, e terminará no dia 24 de novembro de 2013, Solenidade de Nosso Senhor Jesus Cristo Rei do Universo. Com a promulgação deste Ano, o Santo Padre quer colocar no centro da atenção eclesial o que, desde o início de seu pontificado, mais o interessa: o encontro com Jesus Cristo e a beleza da fé n’Ele.

O "Ano da Fé deseja contribuir para uma renovada conversão ao Senhor Jesus e à redescoberta da fé, de modo que todos os membros da Igreja sejam para o mundo atual testemunhas alegres e convincentes do Senhor ressuscitado, capazes de indicar a 'porta da fé' a todos que estão em busca da verdade". (cf. Nota da Cong. para a Doutrina da Fé, 06/01/2012)

"O início do Ano da Fé coincide com a grata recordação de dois grandes eventos que marcaram a face da Igreja nos nossos dias: o quinquagésimo aniversário da abertura do Concílio Vaticano II, desejado pelo Papa João XXIII (11/10/1962), e o vigésimo aniversário da promulgação do Catecismo da Igreja Católica, oferecido à Igreja pelo Papa João Paulo II(11/10/1992)" (Id.).

O Concílio Vaticano II, "a partir da luz de Cristo quis aprofundar a natureza íntima da Igreja... e a sua relação com o mundo contemporâneo. Depois do Concílio a Igreja tem trabalhado para que seus ricos ensinamentos sejam recebidos e aplicados em continuidade com toda a Tradição e sob a guia segura do Magistério" (id.).

O Catecismo da Igreja Católica, como "verdadeiro fruto do Concílio Vaticano II" (PF, 4), se situa na linha dessa "renovação dentro da continuidade". Compreende "coisas novas e velhas" (Mt 13, 52).

O Ano da fé será uma ocasião privilegiada para promover o conhecimento e a difusão dos conteúdos do Concílio Vaticano II e do Catecismo da Igreja Católica. "Desejamos que este Ano suscite, em cada crente, o anseio de confessar a fé plenamente e com renovada convicção, com confiança e esperança. Será uma ocasião propícia também para intensificar a celebração da fé na liturgia, particularmente na Eucaristia" (PF, 9).

Bom Ano da Fé para todos nós. Um abraço com carinho.

No Coração de Jesus,

Pe. Miguel Batista, SCJ. 
SCE da Super-Região Brasil
Carta Mensal Out/2012

terça-feira, 9 de outubro de 2012

1º Simpósio para a Vida e Família

A pedido da Comissão Diocesana para Vida e Família, segue o convite para o 1° Simpósio que será realizado nos dias 25 e 26 de Outubro de 2012.



Mais informações com o casal Ana Maria e Osmar, fone 4582-1303.

Prestigiem!


quarta-feira, 3 de outubro de 2012

DVD Encontro Internacional

Se você ainda não adquiriu seu DVD com o conteúdo do XI Encontro Internacional, ocorrido em Julho/2012 em Brasília, não perca esta oportunidade:


Para garantir seu exemplar, clique aqui e faça seu pedido.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Mensagem


O Dom do Temor de Deus

O dom do Temor de Deus combate o pecado da Preguiça, enquanto a Preguiça se baseia no: “depois eu faço”, um dia eu ajudo”, “quando ganhar na loteria ajudo os pobres”, quando for aposentado vou ajudar na igreja, e acaba por não fazer nada, cultivando o pecado da omissão e caindo na SOLIDÃO. O temor de Deus nos ajuda a viver o hoje e o agora sem desperdiçar nenhuma oportunidade de fazer o bem, de promover a união fraterna, como fruto da ação do Espírito Santo em nos, para que façamos os outros felizes, servindo-os por amor e com amor.

Temor de Deus significa: venerar, reverenciar, prestar culto, adorar ser fiel, ter disciplina, ter iniciativa para fazer o bem e outras atitudes que afastam o medo de Deus, para reconhecê-lo como Pai e amigo. 

Temor de Deus é um dom espiritual que nos leva a agradar a Deus em todas as coisas. Não é medo de Deus, mas abertura para a comunhão com Ele e participação em todas as oportunidades, de nos encontrarmos com Deus na Oração, na Liturgia, na Perscrutação da palavra de Deus, na celebração dos sacramentos e em outras ações espirituais. Também nos encontramos com Deus presente nos pobres, nos necessitados de ajuda, na promoção humana das pessoas, na assistência aos idosos, aos jovens e as crianças e outras realidades que se apresentarem; certos que só seremos felizes fazendo os outros felizes. 

O Temor de Deus e o contrario da incredulidade, do materialismo, da indiferença religiosa, do ateísmo pratico e outras atitudes tão divulgadas e experimentadas na vida hodierna. É grave a situação da humanidade em relação a verdadeira fé e a missão de evangelizar que todos os cristãos receberam no batismo, na crisma e na celebração da eucaristia. 

Na família é urgente que os pais assumam a missão de catequistas dos filhos, missão que prometeram no Batismo deles. Pai e Mãe vivam a unidade e o amor no matrimonio. Eduquem seus filhos na fé, ensinando a rezar e rezando com eles; a não justificar, mas assumir as próprias falhas; a ter responsabilidade e coerência nas ações e deveres; a nunca se omitir diante das necessidades do outros. 

Renunciemos a Preguiça e despertemos para a nossa missão e dever de evangelizar com palavras, com o testemunho e com as ações que se fizerem necessárias. Envolvamos os jovens e as crianças o mais cedo possível para que Deus seja conhecido, amado, anunciado e testemunhado. 

Dom Joaquim Justino Carreira
SCE Equipe 4A - Jundiai/SP
Texto tirado do livro: Trevas ou Luz  - Os pecados capitais e os dons do Espírito Santo 


sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Escola de formação de agentes da Pastoral Familiar

O movimento das Equipes de Nossa Senhora nos quer engajados e atuantes na Igreja. Sabemos quão precioso é o trabalho da Pastoral Familiar em nosso país e para que este trabalho se fortaleça ainda mais, a CNBB está fazendo um belo trabalho para formação de Agentes da Pastoral Familiar.

Dom João Carlos Petrini, Presidente da Comissão Episcopal para a Vida e Família / Comissão Nacional da Pastoral Familiar - CNPF, encaminhou uma carta à todos os Bispos, com o objetivo de apresentar a escola que promove a formação geral de agentes da Pastoral Familiar. O intuito é de promover também a vivência de valores humanos e cristãos na família e na sociedade. 

Dom Vicente Costa (Bispo Diocesano de Jundiaí) pediu que esse conteúdo fosse divulgado através da Comissão Diocesana para Vida e Família. O casal Sérgio e Nice, vice coordenadores deste projeto, nos enviou então, para que também os equipistas se integrassem deste fato. Para visualizar esta carta, clique aqui.


terça-feira, 25 de setembro de 2012

2º Retiro Anual das ENS Jundiaí - Fotos

"Um retiro maravilhoso, muito bem preparado!" Foi assim que os casais se referiram ao 2º Retiro Anual das Equipes de Nossa Senhora de Jundiaí, realizado nos dias 14, 15 e 16 de Setembro.

Pe. Samuel, com todo seu zelo e amor pelo movimento, preparou um ambiente onde os casais estivessem realmente retirados do mundo e em sintonia consigo mesmo e com Deus. Ele propôs aos casais, muitos momentos de reflexão e trabalho com temas profundos e pontuais como:



As fotos deste final de semana foram disponibilizadas pelo casal Kátia e Celso (Equipe 6B) e estão aqui. Nosso agradecimento ao casal!

"Vai e também tu faz o mesmo" - A vivência dos "quartos dias"

“Qual destes três te parece ter sido o próximo daquele homem que caiu nas mãos dos salteadores? O doutor da lei respondeu: O que teve compaixão dele. Disse-lhe Jesus: Então vai e faz o mesmo”. (Lc 10, 36s) 

Jesus conta a parábola do Bom Samaritano para responder a duas perguntas: a primeira sobre a vida eterna e a segunda sobre quem é o próximo. Ao final da narrativa, Jesus pergunta ao doutor da lei qual foi o próximo do homem que foi deixado meio morto pelos ladrões. Diante da resposta do doutor da lei, o convite: “Vai e faz o mesmo”! 

O diálogo de Jesus vai gradativamente envolvendo o doutor da lei, de forma que ele possa tirar as suas próprias conclusões. Jesus nunca deu o “peixe pronto” pra ninguém, mas sempre dá a “vara de pescar”. 

Estamos chegando ao final do nosso retiro anual, que constitui uma oportunidade de inserirmos a nossa vida matrimonial e a nossa vida de casal equipista nos planos e nas mãos de Deus que nos ama. Um retiro é sempre um sinal de Deus, por isso um sacramento! E na Igreja, todo sacramento exige de nós um comprometimento. 

Esses três dias que aqui passamos deve ser ao mesmo tempo um convite e um incentivo, a fim de vivermos os outros dias, os “quartos dias”, procurando atender ao convite que Jesus nos faz de irmos e fazemos o mesmo que fizera o samaritano. 

Imaginemos o caminho de conversão e de aceitação que teve de ser percorrido por aquele doutor da Lei e por todos os judeus que escutaram a parábola de Jesus, para acolherem e aceitarem as palavras de Jesus, que colocava um samaritano, um impuro, como um exemplo a ser seguido! Jesus é sempre surpreendente em suas palavras e atitudes, à medida que ele inova e mostra a vontade do Pai. O hino do XI Encontro Internacional das Equipes de Nossa Senhora nos diz: “Ousar o Evangelho é ir além do programado! Ousar o Evangelho é acolher o inesperado”! 

Acolher o convite que nos fez Jesus é ser como o samaritano: alguém que vê com os olhos do coração e por isso sente compaixão, as suas entranhas doem e apertam diante do sofrimento humano. Tal compaixão o faz colocar a vida humana acima de qualquer lei ou ameaça contra a pureza, o faz superar o medo de ter o mesmo destino daquele infeliz moribundo. E não para por aí: o samaritano cuida de toda a logística e da recuperação da saúde deste homem desconhecido, deixado meio morto pelos salteadores e abandonado por um sacerdote e um levita: “Depois colocou o homem em seu próprio animal e o levou a uma pensão, onde cuidou dele. No dia seguinte, pegou duas moedas de prata, e as entregou ao dono da pensão recomendando: Tome conta dele. Quando eu voltar, vou pagar o que ele tiver gasto a mais” (Lc 10, 34s). 

Atrevo-me a fazer um paralelo entre o pedido de Maria aos que serviam, nas bodas de Caná: “Fazei tudo o que Ele vos disser” (Jo 2, 5) e o que diz Jesus ao doutor a lei e a cada um de nós hoje: “Vai e também tu faz o mesmo” (Lc 10, 37). Maria, a primeira cristã e a pioneira no processo de internalização dos ensinamentos e da missão de Jesus, nos exorta para que o obedeçamos; e Jesus nos pede que façamos o mesmo que fez o samaritano: amemos sem medida. O amor verdadeiro é o amor desprendido de interesse ou de qualquer preconceito ou medo! Jesus quer que ao menos nos coloquemos na condição de aprendizes na escola aonde ele é o grande mestre e a sublime lição é o amor sem medidas! 

Fazer o mesmo que fez o Samaritano, o mesmo que fez Jesus Cristo, constitui um imperativo que compete a nós não somente pela condição de casais equipistas, mas principal e fundamentalmente porque somos consagrados a Deus no batismo, além de anunciadores e destinatários do seu Reino! 

Há um campo muito vasto a ser semeado: o mundo, a Igreja! Há uma infinidade de pessoas que almejam abraçar o sacramento do matrimônio com disposição e preparo. Há porém pessoas que abraçam o matrimônio por necessidade ou porque as circunstâncias as forçam: uma gravidez, o desejo de uma maior liberdade etc. 

Há pessoas infelizes em seus matrimônios, que são agredidas e/ou traídas e humilhadas pelos seus parceiros. Há pessoas que vivem juntas sem terem abraçado o sacramento do matrimônio. Há pessoas que vivem em segunda união estável. Há pessoas do mesmo sexo que vivem juntas, reclamando o direito de serem chamados e reconhecidos como esposos! Falta amor, falta perdão, falta a paz! E onde estamos nós diante deste mundo que grita por ajuda? 

Como sabiamente nos disse o Cardeal Carlo Maria Martini, de saudosa memória: “Embora as Equipes de Nossa Senhora não seja um movimento de ação, quer ser um movimento de gente ativa”. Aqui está a essência e a adaptação do convite de “fazer o mesmo”, direcionado para o nosso movimento: um movimento de pessoas ativas! 

A santificação do casal é o ponto de chegada que almejamos. Porém, não devemos incorrer no mesmo erro dos adeptos da reforma protestante, no início da Idade Moderna, que distorceram o conceito de salvação, associando-a simplesmente à fé e desvinculada das obras! 

É claro que não somos salvos pelo que fazemos! A salvação é um conceito universal, ou seja, para todos; e vem a nós pela infinita bondade de Deus, e não porque sejamos bons! Porém, o nosso agir, o nosso “fazer o bem” deve ser o fruto de nossa convicção da presença de Deus na nossa vida! O “fazer o mesmo” deve ser encarado como a conseqüência de nossa inserção no processo de salvação, e não a causa! 

A santidade passa pela nossa ação para mudar a vida do nosso próximo! É muito triste constatar que muitas equipes de base desviam ou adaptam de acordo com suas necessidades e comodidades este imperativo radical, esvaziando o conceito de santidade conjugal e desvinculando-a do serviço ao próximo, aos necessitados! 

Enquanto casal cristão, como anda a nossa vida apostólica na Igreja de Jesus Cristo? – há pastorais específicas para o sacramento do matrimônio e para a família, bem como há serviços pastorais que podemos realizar em nossas paróquias enquanto casal: pastoral dos noivos, pastoral familiar, ministros da sagrada comunhão, pastoral da saúde, pastoral catequética etc. 

Não é a nossa intenção encerrar o assunto e as reflexões acerca de tão bela e rica parábola contada pelo nosso Salvador Jesus Cristo! Todavia, nunca é demais reforçarmos o apelo à santidade ativa enquanto casais equipistas. Não foi à toa que todas as palestras e reflexões do XI Encontro Internacional do Movimento insistia nesta questão, através das palavras dos conferencistas e dos testemunhos dos casais! 

Vamos e também nós façamos o mesmo! O horizonte é vasto e há muito a ser feito e contemplado! Há muito nevoeiro encobrindo as cores fortes do horizonte belo que Deus nos prepara! A esperança é o nosso combustível, a Igreja o nosso meio de transporte, o Cristo, a nossa inspiração e fundamento! 

Obrigado por tudo! O meu carinho e bênção: 

Pe. Samuel Alves Cruz, sds 
SCE Equipe 7B - Jundiaí/SP 

*Texto usado no Retiro Anual das ENS Jundiaí (14 a 16 de Setembro de 2012)