quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Colegiado de Transição no Setor Jundiaí A

Com muita alegria o Setor Jundiaí A reuniu, na noite desta terça-feira 29/11, os casais que formam o Colegiado 2016 e o Colegiado 2017, para celebrarmos juntos esta transição.



A sabedoria do movimento nos permite esta troca, esta dinâmica e esta linda descoberta de dons e talentos. Pudemos assim, celebrar a gratidão pelos casais que se dedicaram em 2016  e pelos que deram seu SIM para a responsabilidade em 2017.

O Sacerdote Conselheiro Espiritual do Setor, Pe. Julio de Freitas, presidiu esta celebração onde meditamos sobre sermos sal da terra e luz do mundo e convidamos os casais a levarem a luz de Cristo e o sabor do servir aos seus irmãos equipistas.

Ao final, nos confraternizamos em clima de descontração e amizade.

Equipe de Setor Jundiaí A

Todas fotos deste evento estão aqui.

Erica e Wilson Costacurta
CRS Jundiaí A

Formação Anual de Casal Responsável de Equipe

No dia 26 de novembro de 2016, os casais eleitos para serem responsáveis por suas equipes no ano de 2017 participaram de um dia de formação. Os setores Jundiaí A e Jundiaí B prepararam, com base nos documentos do movimento, palestras objetivas e informativas.



Muito casais participavam pela primeira vez desta formação e gostaram muito. A insegurança natural e o frio na barriga, vão sendo substituídas pelo sentido de auxilio mutuo e caridade entre os irmãos, assim, tudo fica mais fácil.  A vivência em comunidade também é um ponto forte desta formação onde, através da troca de informações, os CRE 2017 sentem-se mais preparados para o que pode vir pela frente.

Ao final, a certeza de que Deus prepara e envia para a missão, acalma e acalenta os corações que chegaram agitados e aflitos.

Deus seja louvado por esta oportunidade e por todos os casais envolvidos nesta Formação.

As fotos deste dia estão aqui.

Equipe do Blog das ENS

5º Retiro Anual de 2016

[aguardando]

segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Os Salmos - Uma expressão de vida

O povo hebreu sentia, no decorrer dos seus dias, que caminhava através de uma história que podia ser intitulada de “A História de Deus e do Homem”. Esta passava pelos séculos, mostrava a essência da vida desse povo e era o resultado de um contínuo relacionamento com Alguém que se comunicava diretamente com ele em seus instantes cruciais.

O povo hebreu desejava registrar tudo isso em uma síntese concreta. E fazia brotar, dos lábios e dos corações, por anos e por séculos, esses fatos espetaculares. A este registro se dá a denominação de Salmos. A sua fonte, dessa maneira, é a própria vida humana, iluminada por Deus. Neles encontramos aquilo que estava no interior desse povo, uma expressão autêntica do que lhe ia à alma: a descoberta da natureza do homem, o espelho fiel de sua vida e o reflexo de sua verdadeira identidade.

Enfim, os Salmos se constituíam em uma longa e cuidadosa tentativa de resumir a intervenção de Deus na vida humana, onde procurá-Lo e no que consiste a sua presença salvadora: “Até quando esconderás de mim a tua face?” [Sl 13 (12), 2].

Os Salmos expressam a resposta a essas aspirações: “só quem não caminha em Deus nada percebe”! É peregrinando por esse caminho que o povo teve a certeza do convívio com Deus e da relatividade das demais coisas, das suas inseguranças: “Sem Deus, tudo é fuga” [cf. Sl 73 (72), 15], “sem Deus a vida não tem sentido” [cf. Sl. 73 (72), 27-28],“Deus é o fundamento e o futuro da vida” [cf. Sl. 27 (26), 1-3]!

Alguns de nós, Equipistas, poderiam questionar: os Salmos nada têma ver hoje com nossas vidas, constituem-se em problemas diferentes, em culturas diversas, em situações muito arcaicas. Essas “alegações” constituem um equívoco se não aprofundarmos as nossas vidas e não formos capazes de perceber as vibrações de vida que afloram nos Salmos.

Tanto esse povo como nós devemos ser vasos comunicantes na demanda de um sentido de vida e de uma solução para os problemas do dia a dia:

“Deus é o guardião de nossas vidas”!
[cf. Sl 121 (120)]


Fátima e João Bosco
Eq. 5A - Jundiaí/SP

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

4º Retiro Anual de 2016, em Jundiaí

O Retiro, que aconteceu de 14 a 16 de Outubro, foi iniciado com a apresentação do Padre José Alem, fazendo-nos um convite para relaxar ao som de uma música e com suas palavras afim de poder entrar no contexto do Retiro e estar completamente desligados de tudo para poder aproveitar e fazer uma reflexão e um balanço de como estamos vivendo afim de alcançar o crescimento pessoal e espiritual e assim conseguir o equilíbrio entre a carne e o espírito.



Ouvimos que crescer na graça que é a mais linda aventura da vida. Conhecer Jesus e o conhecendo melhor conseguiremos amá-lo e seguí-lo. Não devemos nos deixar levar pelas ambiguidades da vida que são as coisas falsas que fazem-se passar pelas coisas boas e nos enganar. Cristo é o Caminho a Verdade e o sentido da Vida. Para conhece-lo é preciso viver a palavra de DEUS e testemunhá-la também. A importância da oração, como orar, meditação da palavra, viver os sacramentos, catequeses. Levar Cristo em nossa vida é pregar com atitudes.

Fizemos uma revisão de vida como cristãos, como membro da ENS, vimos os 6 ponto de observâncias, falamos de Partilha, Escuta da Palavra, Meditação, Oração Conjugal, Dever de Sentar-se e Regra de Vida.

No tema da Misericórdia pudemos perceber o real sentido da palavra, a qual é um tema inesgotável onde vemos que o amor é completo em todos os sentidos e aspectos: bondade, compaixão, perdão, piedade e a graça. É diante do reconhecimento de sermos pecadores e nos arrependermos que se manifesta a misericórdia de DEUS onde Jesus é a principal figura para se consolidá-la.

Devemos Amar como DEUS nos ama sem interesse e sem restrições a quem. É um morrer para nosso EU e imitar Jesus, ver em nosso semelhante Jesus. Esse amor é uma experiência da Santíssima Trindade.

Sobre Maria vimos que com o seu Sim a DEUS a sua fidelidade e sua entrega total é o modelo de santidade na Igreja e nossa educadora na Fé. O modelo de Fé sendo discípula de seu próprio Filho e serva de DEUS, vivendo o Evangelho segundo a Sagrada Escritura. Que imitemos Maria e que com a nossa devoção possamos viver segundo o Evangelho para sermos suficientemente cristãos.

Tivemos a grande graça de termos a confissão e podermos estar totalmente preparados para a Eucarístia. Muito especial foi também o Terço que rezamos em torno da fonte onde cada um rezando com velas representou as contas do rosário.

Um momento mais que sublime foi o pacto de amor com Maria onde prometemos diante de Deus, de Jesus Cristo e do padre, tê-la como nossa mestra, amiga do céu e da terra, onde encontraremos o refúgio, amando-a e obtendo através dela o amor de Jesus, obtendo sempre dela a força para sermos humildes e simples como seu exemplo de vida, meditando e vivendo a sua palavra.

Foi um ótimo início de caminhada nesse nosso primeiro Retiro Anual na ENS. Que possamos colher os bons frutos dessa linda jornada em nossas vidas. Que DEUS nos mantenha sempre perseverantes. Que Nossa Senhora cubra com seu manto de amor a todas as ENS, ao nosso Papa, aos Sacerdotes e ao mundo todo!


José Carlos e Ivete Fávaro
Eq. 2B - Jundiaí/SP

Encontro de Conselheiros

No ultimo dia 21 de Setembro de 2016 aconteceu o Encontro de Conselheiros das Equipes de Nossa Senhora, no salão de festas do Condomínio Terras de São Carlos. O padres e religiosas atenderam o convite dos setores Jundiaí A e Jundiaí B, e compareceram em um ótimo número para uma manhã de formação, debates e confraternização.

A formação da manhã foi conduzida pelos CRS, Erica e Wilson (Jundiai A) e Eliana e Luiz Roberto (Jundiaí B) com ênfase no valor da Reunião Preparatória e Visita Pastoral. Foi enfatizado ainda a Reunião de Eleição e em seguida, aberto debate para perguntas e respostas.



O encontro foi avaliado positivamente entre os que ali estiveram. Do Setor Jundiaí A estavam: Pe. João (2A), Pe. Félix (4A e 11A), Pe. Joaquim (5A), Pe. Paulo (8A), Pe. Julio (13A), Pe. Milton (14A), Pe. Alexandre (15A), Pe. Bruno (18A) e Pe. Lupércio (19A). Do Setor Jundiaí B estavam: Pe.Spolti (2B), Pe. Samuel (3B e 16B), Pe. César (8B), Ir. Penha (9B e 18B) e Ir. Sonia (13B). Além destes, recebemos os seguintes conselheiros do Setor Itu: Pe. Adeilson, Ir. Zita e Frei Cido. Ao todo estiveram presentes 17 conselheiros, representando 20 equipes.

O Encontro foi finalizado com um delicioso churrasco, onde os conselheiros puderam conversar entre si e confrontar, de maneira mais descontraída, as orientações apresentadas e as realidades das equipes que participam.

As fotos deste dia estão aqui.

Blog das ENS Jundiaí

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Mutirão das ENS 2106 - Setor Jundiaí A

O mutirão, conforme nos lembra os documentos do movimento, é uma atividade que objetiva especificamente desenvolver os conhecimentos mais profundos e sistematizados das ENS, de seu carisma e de sua pedagogia. É indicado que aconteça um mutirão em cada período de atuação do Casal Responsável de Setor (3 anos). Foi baseado nisto que no dia 17 de Setembro o Setor Jundiaí A realizou, com muita alegria e dinamismo, o Mutirão das ENS 2016, no centro catequético da Paróquia Nossa Senhora do Montenegro.

Cada equipe recebeu seu tema de apresentação antecipadamente, junto com a orientação que apresentassem de uma forma criativa. E neste quesito, as equipes realmente compraram a ideia e se prepararam muito bem. 

A parte da manhã contou com a oração inicial conduzida pelo SCE do Setor Pe Julio de Freitas Alves; uma apresentação dos objetivos do Mutirão pelo CL Edsonia e Ricardo e pelo tema "Amoris Laetitiae" apresentada pela equipe 14A. Dom Enrico, SCE da Eq. 7A e vigário da Paróquia que estávamos, também passou por lá. Em seguida fizemos um almoço comunitário, com os alimentos trazidos pelos equipistas. A parte da tarde foi dinâmica e usamos 4 salas para apresentação de temas. A cada 30 min acontecia o rodizio das salas e dos temas. Encerramos o mutirão com a benção do Pe. Bruno (Eq, 18A) e a oração do Magnificat.

Foi extremamente gratificante ouvir os comentário positivos sobre o formato adotado! Muitos equipistas gostaram da maneira, do aprendizado e da alegria vivenciada entre irmãos. É assim que o Senhor continua, diariamente, fazendo em nós maravilhas! Louvado seja Deus!

Érica e Wilson
CRS Jundiaí A

As fotos deste dia estão aqui.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

3º Retiro Anual de 2016, em Jundiaí

O 3º Retiro Anual promovido pelos setores Jundiaí A e Jundiaí B, nos dias 2, 3 e 4 de Setembro, certamente não será esquecido. Foram momentos de oração e profunda meditação conduzido pela Irmã Sonia - pessoa de muita fé e que conduz como ninguém esse momento de oração e aprofundamento - que nos deixaram bem pertinho de Deus.



Esse kairós explicado pela irmã, esse tempo de Deus em nossa vida, revelou o sentido da misericórdia: a revelação de Deus por nós. O Papa compara esse amor como de um pai e mãe para com seu filho, é um amor visceral, profundo que vem dentro, é intimo, um sentimento profundo e natural feito de ternura e compaixão, de indulgência e perdão.

Tivemos momentos de deserto individual e em casal onde a Irmã nos conduziu com dicas dividindo o retiro em 3 meditações baseados na Bíblia.

Jesus, o rosto da misericórdia do Pai, é demonstrado através de muitos exemplos. Alguns citados foram: Paulo, que experimentou a misericórdia de Deus, deixando-o agir; Pedro, que recebe a cura com sua presunção do homem sensato, curado através da ferida mais profunda, renegar um amigo; João, o discípulo amado, curado na sua soberba de querer reparar o mal com o fogo; Agostinho, curado de sua nostalgia de ter chegado tão tarde ao amor de Deus; São Francisco de Assis recebe a misericórdia em muitos momentos de sua vida; Inácio curado de sua vaidade; E finalmente Maria, o recipiente e fonte de misericórdia, exemplo para todos nós.

Fomos abençoados também com as missas do Padre Alexandre Theodoro, que tocou no oração de cada um com suas sábias palavras.

Que bons momentos assim fiquem registrados em cada um desses casais presentes, que a oração a misericórdia esteja presente na vida de cada um de nós.

Patricia e Christiano
Eq. 15A - Jundiaí/SP

Veja as fotos deste evento clicando aqui. (Fotos: Lissandra e Alessandro - Eq 13B)

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Bem vindo, Davi!

Este é o Davi, filho da Dani e do Fernando - Equipe 17A - que nasceu dia 31 de  Agosto, lindo e saudável!

Seja bem vindo, Davi! Que Deus o abençoe e o faça crescer em estatura e sabedoria, com o auxílio da fé dos pais, da família e dos irmãos equipistas.

E parabéns aos papais!
Equipe do Blog das ENS

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Almoço das ENS 2016

Este foi nosso último almoço como Responsáveis de Setor. Sob o nosso ver, o almoço da ENS 2016 foi um sucesso, da mesma forma que os anteriores. Esta certeza vem, primeiramente, pela intercessão de Maria: como na festa de Caná na Galileia não deixou faltar nada!! Segundo, pelo espírito de amizade, cooperação, alegria, fraternidade, doação e amor ao Movimento demonstrado por todos os casais.



E quase palpável o espírito de entre-ajuda que circula entre todos os que se colocam a serviço, em todos as praças; e, há o que nos une: Amor à missão assumida e servir com alegria!!! Fica claro para todos nós a vivência das 3 três atitudes do Movimento: abertos à vontade de Deus, vivendo a Verdade e vivendo o Encontro e a Comunhão.

Só temos muito a agradecer a todos que fizeram que esse evento acontecesse, tanto aos que trabalharam com carinho e afinco, bem como aos que acreditaram em nós e estiveram presente na nossa festa.
Deus seja louvado!
Eliana e Luiz Roberto
CRS Jundiaí B

Todas as fotos estão aqui. (Fotos: Cláudia e Moisés - Eq 15B)

2º Retiro Anual das ENS Jundiaí

Neste retiro, que aconteceu nos dias 5, 6 e 7 de Agosto, o Padre Alberto Simionatto (SCE Eq. 15B) quis provocar para que assim sejamos motivados a mudar, a nos converter.

Nos fez pensar sobre nossas relações conjugais, a não sermos medíocres e mesquinhos. Não nos devemos sentir sozinhos. Devemos pensar no outro e amá-lo, implicando em grandes renúncias. A medida de nosso amor é a medida de nosso sacrifício.

Nos provocou para que sejamos corajosos para poder sempre recomeçar. Devemos reafirmar os compromissos firmados no passado, buscar onde desviamos nas encruzilhadas da vida e descobrir onde começamos a partir dos nossos erros identificados. Devemos valorizar e preservar os nossos acertos.

Nos provocou para que possamos reinventar a forma de nos amar. Devemos ser livres e dar liberdade. Devemos fazer escolhas, sabendo que as escolhas que fazemos no presente são fruto de escolhas maiores que fizemos no passado. Devemos amar na liberdade e ser autêntico, sem restrições, sem desculpas. As verdadeiras escolhas não são um peso, pois são feitas por amor. As escolhas são exigentes, mas temos o exemplo de Cristo, seus ensinamentos e sua caminhada. Nos ecoa sua citação “Pedro, tu me amas? Siga-me”.

Nos provocou para que sejamos misericordiosos. Devemos ter o olhar do Cristo para com o outro. Devemos perdoar e estar dispostos a servir ao outro. Não perdoar, é matar o outro e morrer para Deus. Temos o dever de ser ajudados e o direito de recomeçar. Devemos amar no erro do outro e saber ajuda-lo. Ele nos mostrou que Deus manifesta todos os sinais do Reino na família. Aceitar o Cristo necessita de conversão, pois necessita que sejam colocados em segundo plano os valores da Sociedade.

Resta-nos agradecer os ensinamentos por tão produtivo Retiro.

Fernanda e Antonio Flávio
Eq. 3A - Jundiaí/SP

As fotos deste final de semana estão aqui. (Fotos: Sanderli e Toninho - Eq 5B)

Formação Nível II

Nos dias 30 e 31 de Julho de 2016, casais de toda Região SP Sul II se reuniram na Casa São José, em Sorocaba/SP, para o Encontro de Formação Nível II.

O movimento das Equipes de Nossa Senhora investem na formação de seus membros, para isso, promove constantemente esses encontros para propiciar maior conhecimento.


O pregador deste encontro foi o divertido e sábio Pe. José Adalberto Vanzella, que é especializado em filosofia pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, é mestre em teologia pastoral pela Faculdade Assunção de São Paulo e doutor na mesma área pela PUC do Rio de Janeiro. Foi Secretário Executivo da Campanha da Fraternidade e Campanha da Evangelização da CNBB por dois períodos, de 2000 a 2003 e depois, mais uma vez, de 2007 a 2010. Pertence a Diocese de Taubaté e além disso, é professor universitário na Faculdade Dehoniana de Taubaté.


Os casais dos Setores Jundiaí A e Jundiaí B foram estes: Bete e Costa, Cristiane e Rodrigo, Erica e Alexandre, Marcia e Marcelo, Vanessa e Marcelo pelo Setor A; Elza e Luiz, Sonia e Fernando pelo Setor B.

Todas as fotos destes final de semana estão aqui (Fotos: Nereu/Edla - Setor Sorocaba B).

Equipe do Blog das ENS

Jó - O sentido do sofrimento

O caminho pela História da Salvação do povo hebreu passa pelos sofrimentos e dificuldades decorrentes da esperança em Deus: são problemas concretos da vida. O escritor sagrado, na tentativa de uma explicação, tenta fazer isto com a história de um homem idealizado, Jó.

Essa história conta a caminhada do povo hebreu na busca de um sentido para essa situação. Inicia com uma queixa amarga: “Qual a razão da existência do sofrimento?” (cf. Jó 3, 20-26). Em primeiro lugar, o povo procura a explicação dentro do nível cultural primitivo; o sofrimento era proveniente do mal cometido pelos antepassados (cf. Js 7, 10-15) ou que cada pessoa recebe o resultante das suas ações, aquilo que merece: “O indivíduo que pecar, esse irá morrer” (Ez 18, 4). O justo tem a recompensa, o pecador recebe o castigo. Mas o escritor sagrado, através da boca de Jó, recusa esse entendimento: “Vocês são mentirosos e charlatães. Vocês descarregam no infeliz toda a culpa e desafiam a Deus pensando que o têm nas palmas da mão” (cf. Jó 13, 4-5 e 12, 5-6). O sofrimento não pode ser um castigo de Deus! Essa constatação é evidenciada por Jó: “Eu sei que sou inocente, que sou justo. Por que esse sofrimento? Mostra-me as minhas transgressões e os meus pecados!” (cf. Jó 13, 17-27). E os filhos de Israel procuram um sinal no fim do túnel (cf. Jo 13, 1-3). Finalmente, eles encontram a luz no horizonte da vida, uma nova imagem de Deus: Ele permite esses acontecimentos para expressar a sua justiça e a sua misericórdia: “Ele quer arrancar você da angústia e levá-lo a um lugar espaçoso e aberto, para servir a você com mesa farta” (Jó 36, 16).

Nos nossos dias, muitos de nós, Equipistas, continuam com indagações e dúvidas a respeito do sentido do sofrimento. Mas para aquilo que o povo judeu aprendeu a duras penas, em uma experiência de séculos, Cristo nos mostra um novo significado e, mesmo, uma nova alegria: a linguagem da Cruz. Ele é o exemplo! O sofrimento é um mistério, tem um sentido e não é a última palavra:

“Deus vai enxugar toda lágrima”! (cf. Ap. 21, 4).

Fátima e João Bosco
Eq. 5A - Jundiaí/SP

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Novo Casal Responsável do Setor Jundiaí B


À Província Sul I e Região SP Sul II.

É com imensa alegria que recebemos o "SIM" do casal Cláudia e Moisés para assumirem como Casal Responsável pelo Setor Jundiaí B, no período de Nov/2016 à Nov/2019.

Recebemos um sim com muita alegria e entusiasmo.

Que Deus os ajude a servirem com muito amor e que Nossa Senhora os cubra com seu manto sagrado. Amém!!!

Sejam bem vindos à Região Sp Sul II.

Um forte abraço!
Katia e Alexandre
CRR SP Sul II

-----------------------------------------------------------

Queridos irmãos,

Após o belíssimo processo de discernimento conduzindo pelo Pe Samuel em conjunto com nosso CRS Eliana e Luiz Roberto houve um período de ansiedade e angustia até a revelação do novo CRS, esse período faz com que reflitamos sobre nosso trabalho no movimento, nosso envolvimento, nossas participações, etc.

Quando recebemos o telefonema da Katia agendando a visita sentimos “aquele friozinho na barriga” e a ansiedade aumentou. Durante a visita de Katia e Alexandre eles disseram: “Nós não viemos aqui para simplesmente fazer-lhes um convite, mas SIM para comunicar, pois vocês já foram escolhidos”. Isso nos fortaleceu, pois sentimos que nossos irmãos confiaram a Nós essa Missão e isso nos “encheu de entusiasmo” para confirmar o nosso SIM a mais esse Serviço.

Queremos agradecer a todos pelo carinho e acolhida que estamos recebendo. Vamos “Servir com Alegria” e com espírito de pertença sempre! principalmente porque temos a certeza que: nossa equipe de base, nossa atual equipe de Setor e todos vocês estão conosco nessa caminhada para que possamos desempenhar um belo trabalho nesses próximos 3 anos para com nosso movimento. Contamos com suas orações.

Um obrigado especial a esse casal incansável Eliana e Luiz Roberto e, como diria nossos amigos Erica e Wilson #tamujunto.

Beijos no coração de cada um de vocês, peçamos que o Espirito Santo nos ilumine e que Maria esteja conosco nesse Serviço.

Cláudia e Moisés
CL - Setor Jundiaí B





segunda-feira, 18 de julho de 2016

Os livros sapienciais: A Sabedoria

Ao lado dos livros históricos e proféticos, existem na Bíblia os livros sapienciais: Provérbios, Eclesiástico, Eclesiastes, Cântico dos Cânticos, Jó e Sabedoria. Enquanto os primeiros representam o pensamento e a vivência dos líderes religiosos, os sapienciais retratam a experiência do dia a dia do povo na busca de uma melhoria de vida. Deus acolhe essas manifestações, que também ensinam a ver, no decorrer dos tempos, a Sua mão poderosa (cf. Eclo 42, 15-25).

A Sabedoria, de que falam os livros sapienciais, não advém de uma capacidade intelectual, mas sim da aptidão do povo de querer dirigir bem a sua vida e de agir, com sensibilidade, na observação dos fatos: é uma “filosofia de vida”, a preocupação de como fazer para obter a felicidade verdadeira, a procura dos valores da existência humana e de sua integração na vida, na melhoria e no progresso. São as experiências acumuladas que se transmitem pelas gerações, pedaços da vida, valores descobertos pela gente simples: (cf. Pr 17, 22; l8, 13; 24 21; 27, 17). A sabedoria une as pessoas: “Aquele que a adquire deseja transmiti-la aos outros” (cf. Eclo 51, 13-30).

A sabedoria do povo toma consciência, pouco a pouco, de que ela se volta cada vez mais para Deus: “É uma realidade divina que existe desde sempre para sempre” (cf. Pr 8, 22-26). Não se trata de expressão meramente humana: em Deus está a origem e o fundamento de toda a sabedoria. Essa expressão do povo passa a ser vista da maneira correta: “os primeiros degraus de uma escada que sobe até o Senhor”.

Nós, Equipistas, também devemos praticar essas experiências, sujeitando-as aos desígnios de Deus. Não queiramos ser “super-homens”, que “têm a força”, que “são a verdade de todas as coisas”. Tal “sabedoria” é “o vestíbulo da morte” (cf. Pr 9, 13-18). E Deus respeitará seguramente a nossa procura dos primeiros degraus da escada para chegar até Ele: 
Isto será para nós “um tesouro superior a tudo” 
(cf. Sb 7, 7-14)

Fátima e João Bosco
Eq. 5A - Jundiaí/SP

quinta-feira, 16 de junho de 2016

1º Retiro Anual - As Obras de Misericórdia nas Equipes de Nossa Senhora

O primeiro retiro anual 2016 das Equipes de Nossa Senhora dos setores Jundiaí A e Jundiaí B, aconteceu nos dias 10, 11 e 12 de junho na casa das irmãs carlistas, na Colônia, em Jundiaí. O pregador foi padre Wagner Ferreira Pereira, da paróquia Santa Gertrudes, que é SCE da equipe 17A. Os dois dias e meio foram cheios de bênçãos, já que o tema era O Rosto da Misericórdia. A Igreja Católica trabalha esse tema ao longo desse ano de 2016, a pedido do papa Francisco e está orientando todos os católicos a seguir as obras de misericórdia detalhada pelo Santo Padre. O movimento das ENS não seria diferente e, portanto, escolheu esse tema para centralizar a reflexão anual em casais durante os 5 retiros do ano.

Padre Wagner foi muito didático durante todos os dias de retiro, mas fez questão de embasar todas as suas informações e explicações em passagens da Bíblia Sagrada.

As obras de misericórdia são quatorze. Sete delas são chamadas de obras de misericórdia corporais: Dar de comer a quem tem fome; Dar de beber a quem tem sede; Vestir os nus; Dar abrigo aos peregrinos; Assistir aos enfermos; Visitar os presos; Enterrar os mortos. 

E sete são chamadas obras de misericórdia espirituais: instruir; aconselhar, consolar, confortar, perdoar, suportar com paciência e rogar pelos vivos e pelos mortos.

Vários momentos marcaram o retiro de junho: deserto particular e em casal e a especial adoração ao Santíssimo no sábado fizeram parte do segundo dia de retiro. Já no domingo, padre Wagner detalhou mais as obras de misericórdia espirituais como instruir os ignorantes: 

“Instruir não é simplesmente transmitir conhecimentos, é também corrigir os que erram, doutrinar, ensinar os valores do Evangelho, formar na doutrina e nos bons costumes éticos e morais”, disse o padre. E falou do perdão, uma das obras espirituais mais importantes. O perdão é uma exigência do Evangelho e uma condição para entrar no Reino. 

Importante ressaltar que as obras de misericórdia, tanto as corporais e espirituais podem nortear e fazer parte do dia a dia de um equipista. Para encerrar o retiro, padre Wagner propôs um Dever de Sentar-se bem especial levando em conta todos os ensinamentos do fim de semana. 

O poderoso fez maravilhas e Santo é seu nome. 

Hanaí e Eli
Equipe 10A - Jundiaí/SP

Fotos do Retiro:

AQUI - Crédito: Elza e Luiz Carlos - Eq. 3B

AQUI - Crédito: Joice e Fábio - Eq. 12B

AQUI - Crédito: Hanaí e Eli - Eq. 10A

.

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Peregrinação 2016 - Dia de misericórdia e graça

Centenas de casais das Equipes de Nossa Senhora da Província Sul I estiveram em Aparecida no último sábado, dia 14 de Maio, na já tradicional Peregrinação ao Santuário Nacional. Jundiaí enviou 4 ônibus e 1 van, totalizando quase 200 pessoas entre casais e familiares, fora os que foram com o carro próprio.

Ônibus 1
Ônibus 2
Ônibus 3

Ônibus 4
Van

A concentração foi em frente a Tribuna Papa Bento XVI onde aconteceu a Oração do Terço da Misericórdia. Após o Santo Terço, os casais saíram em procissão até a Porta Santa para a missa das 12h, no Altar Central do Santuário Nacional, que foi presidida pelo Pe. Flávio Cavalca. 

As famílias ainda se confraternizaram no lanche comunitário e em clima de alegria viveram um dia repleto de fé, fraternidade e graça!

As fotos deste dia estão aqui: 
- Por Erica e Wilson (Ônibus 2) - Fotos

* Envie suas fotos e/ou testemunhos para ens.jundiai@gmail.com

Érica e Wilson
Eq. 13A - Jundiai/SP

quarta-feira, 11 de maio de 2016

ENS comemora 54 anos em Jundiaí

Dom Vicente Costa, Bispo Diocesano, presidiu missa em comemoração aos 54 anos do Movimento das Equipes de Nossa Senhora (ENS) na Diocese de Jundiaí, na noite do dia 6 de maio, sexta-feira.

A Catedral Nossa Senhora das Graças ficou repleta de equipistas e suas famílias, os quais agradeceram pelas maravilhas que Deus tem feito em suas vidas.

Casais da equipe 1, do Setor Jundiaí B, receberam homenagem especial pelos 50 anos de equipe. São eles: Dina e Chico Franchi, Ana Maria e Diácono Osmar Guedes.

Do Setor Jundiaí A,  Cida Gradin (viúva de Joel Duarte), também recebeu as honras pelo jubileu de ouro no movimento. Ela pertence a equipe 1 que celebrou o Jubileu em 2014.



Concelebraram junto a Dom Vicente, os Sacerdotes Conselheiros Espirituais, padres: Milton Rogério Vicente, Júlio de Freitas Alves, João Batista Carvalho, Bruno Retore SDS e Paulo Rogério Caovila CS.

A cerimônia ainda foi marcada pela apresentação de uma nova equipe, 20 A, fato que comprova a renovação contínua do movimento na Diocese.

Após a missa, houve comemoração festiva no salão da Catedral, onde o casal Ivone e João, da Equipe 7A, acompanhado de seus filhos Lucas e Bruna, recebeu benção de Dom Vicente pelos 25 anos de matrimônio.

Foi uma noite muito alegre e agradável que contou com a presença de mais de 200 equipistas e suas famílias.




Confira todas as fotos: http://migre.me/tJwrG

Elis e André Mazzali
Eq. 15A - Jundiaí/SP

Peregrinação 2016 e as Indulgências no Ano Santo

Recebemos a carta convite para a Peregrinação à Aparecida e estamos nos preparando para esse momento tão rico para nós casais e para todo movimento das ENS. Na carta cita-se que na Bula Misericordiae Vultus, o Papa Francisco sugere algumas iniciativas que podem ser vividas durante esse Ano Santo Extraordinário, o Ano da Misericórdia, dentre elas:
- buscar o Sacramento da Reconciliação;
- realizar peregrinações;
- participar da Eucaristia
- passar pela Porta Santa;
- receber a indulgência plenária.

Nessa peregrinação, teremos a oportunidade de vivenciar todos esses momentos. Mas o que é indulgência plenária? Segundo o Catecismo da Igreja Católica (CIC) “indulgência é a remissão, diante de Deus, da pena temporal devida pelos pecados já perdoados quanto à culpa, que o fiel, devidamente disposto e em certas e determinadas condições, alcança por meio da Igreja, a qual, como dispensadora da redenção, distribui e aplica, com autoridade, o tesouro das satisfações de Cristo e dos Santos” (Constituição Apostólica Indulgentiarum Doctrina, 1967, Papa Paulo VI, Sobre a doutrina das indulgências, n.1). Falando de uma forma figurada: Imagine uma madeira e nela colocamos um prego, quando retiramos o prego ele deixa uma marca, um buraco e para fechá-lo precisamos passar uma massa. Conosco é assim, o pecado é o prego, a madeira é nossa alma e a indulgência plenária é a massa que irá cobrir, apagar a marca do pecado em nossa alma.

“No sacramento da reconciliação, Deus perdoa os pecados, que são verdadeiramente apagados; mas o cunho negativo que os pecados deixaram nos nossos comportamentos e pensamentos permanece. A misericórdia de Deus, porém, é mais forte também do que isso. Ela se torna indulgência do Pai que, por meio da Esposa de Cristo, alcança o pecador perdoado e o liberta de qualquer resíduo das consequências do pecado, habilitando-o a agir com caridade, a crescer no amor em vez de recair no pecado” 
(Misericordiae Vultus, Papa Francisco)

O que devemos fazer para receber a indulgência plenária? O Papa Francisco nos diz: “Para viver e obter a indulgência, os fiéis são chamados a realizar uma breve peregrinação rumo à Porta da Santa, aberta em cada catedral ou nas igrejas estabelecidas pelo bispo diocesano, e nas quatro Basílicas Papais, em Roma, como sinal do profundo desejo de verdadeira conversão (no nosso caso, a Porta Santa aberta na Basílica de Aparecida). É importante que esse momento esteja unido, em primeiro lugar, ao sacramento da reconciliação e à celebração da Santa Eucaristia, com uma reflexão sobre a misericórdia. Será necessário acompanhar essas celebrações com a profissão de fé e com a oração por mim e pelas intenções que trago no coração para o bem da Igreja e do mundo inteiro”.

Portanto, nos preparemos para esse momento de profundo encontro com Deus e a sua misericóridia. Durante essa semana procure confessar-se para que possamos, lá em Aparecida, na casa da Mãe, desfrutar dessa grande graça que é receber a Indulgência Plenária.

Boa Peregrinação a todos!

Cristiane e Rodrigo 
Eq. 14A – Jundiaí/SP

segunda-feira, 25 de abril de 2016

Os Reis: a função da autoridade

Os Livros de Samuel e dos Reis apresentam uma análise crítica da realeza em Israel que chega até os nossos dias, podendo nos ajudar a avaliar os nossos sistemas e as nossas vidas.

A visão das tribos israelitas colocaram primeiramente os Reis e as autoridades como “um mal necessário” (que poderia vir a oprimir o seu povo), mas, ao mesmo tempo, como “um dom de Deus”, devendo essa função ser mediadora, isto é, representar e tornar presente o próprio Deus através do serviço ao povo.

Assim, qualquer autoridade, que não obedece a Deus e não tem a intenção do serviço, é ilegítima e má, pois acaba ocupando o lugar de Deus e explorando os seus representados.

Os Livros de Samuel e dos Reis mostram que Deus, acedendo ao pedido do povo, confia no julgamento e posicionamento salutar do Rei e outras autoridades para o fim de se prodigalizar a plena justiça aos governados.

As decepções com a monarquia viriam a se multiplicar no tempo. Todavia, depois da queda dos reinos de Israel e Judá, os israelitas, seguindo as lições de Deus através de Jeremias, passam a aspirar e acolher uma sociedade desenvolvida pelo próprio povo através do profundo conhecimento de Deus (Jr 31, 31-34). E aprenderão que este poder pertence à essência do Senhor: a humanidade se realiza dentro de relações concretas de partilha e fraternidade.

Deste modo, nós, Equipistas, devemos vivenciar, dentro da História da Salvação e da experiência de Israel, que o sentido último de nossas existências reside em servir e lutar pelo advento do Reino entre os homens. A marcha de nossa história caminha para a comunhão e a partilha recíprocas e autênticas:

“Colocarei minha lei em seus peitos e a escreverei em seus corações:
'Eu serei o Deus de vocês e vocês serão o meu povo'!
(Cf. Jr 31, 33)

Fátima e João Bosco
Eq. 5A - Jundiaí/SP

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Pizza das ENS: Mais um ano de sucesso

A cada ano que passa, mais tradicional vem se tornando este evento promovido pelos setores Jundiaí A e Jundiaí B. Este ano foram mais de 1.800 pizzas vendidas!

Com o empenho e forte adesão dos equipistas, o sucesso da "Pizza das ENS" foi alcançado. Tanto na venda como na confecção e montagem, que reuniu cerca de 70 pessoas, que de forma voluntária compareceram a Capela Nossa Senhora das Graças e se colocaram a disposição da equipe de trabalho.


A grande preocupação: preparar pizzas frescas e saborosas para que todos os que nos ajudaram este ano, ficassem com um gostinho de "quero mais" no ano que vem. E cremos que a meta foi alcançada. O retorno que tivemos foi muito positivo. Toda preocupação com uma massa de qualidade e alimentos preparados no dia deixaram as pizzas muito saborosas!

Na sexta feira a equipe de trabalho esteve no local para limpeza do salão, recepção dos produtos e pré-preparo dos alimentos. No sábado o serviço começou as 6h da manhã e as 12h00 todas as pizzas estavam prontas, esperando por seus donos. Na parte de tarde aconteceram as entregas e como já estava programado, as 17h00 foi feita a doação das pizzas que não foram retiradas. Entidades como PAIM, Aprendizado Dom José Gaspar, Casa de Nazaré e Carmelo de Jundiaí receberam com alegria essas doações.

FINALIDADE - Parte do lucro (cerca de 20%) será revertido para a PAIM (Pastoral de Integração do Menor) - entidade administrada por equipistas de Jundiaí - e todo o restante será destinado integralmente para subsidiar os Retiros Anuais, convertendo-se em desconto para os equipistas.

Que Deus nos impulsione sempre a servir com alegria, assim como aconteceu neste evento.

Nosso muito obrigado a todos que contribuíram para este sucesso!

Érica e Wilson
CRS Jundiaí A

Eliana e Luiz Roberto
CRS Jundiaí B


quarta-feira, 30 de março de 2016

Os profetas: a exata consciência do Senhor

A História da Salvação continuava... O Povo de Israel tinha consciência de ser o “Povo de Deus” e a responsabilidade pela realização do Seu projeto. Ele caminhava em direção ao futuro, procurando o comprometimento com o Senhor e seus irmãos... Buscava, assim, fazer isto em uma vivência segundo preceitos e comportamentos, tais como a lei, o culto, as instituições, as festas e os costumes. Todas essas coisas deveriam ser “meios” para atingir seu desiderato e, não, um “fim” em si mesmos. Infelizmente os seus comportamentos deixavam, aos poucos, de serem expressões de uma fé autêntica e de uma vivência profunda. 

A sua confiança na presença de Deus se torna uma “falsa segurança”. Seguindo “falsos profetas” (Jr 23, 16-17), o povo passa a viver do passado como um valor em si mesmo, dedicando-se a uma vida de cumprimento de prescrições e deveres menores, querendo “comprar” a Providência Divina. Javé passa a ser um “mero amigo da juventude”, “o fiador de todos os prodígios” (Jr 3, 4 e 21, 2): “Amanhã será como hoje” (Is 56, 12).

Neste momento, Deus, com amor e misericórdia, coloca em ação os verdadeiros Profetas, pessoas que vão falar em seu nome. E eles denunciam essa falsa segurança, apresentando novas formas de fé e de vida. Suas ações e seus testemunhos são “para arrancar e derrubar, para exterminar e demolir, para construir e plantar” (Jr 1, 9-10). 

Hoje se repetem esses mesmos passos. Também existe, em nós, Equipistas, a mesma falsa segurança em Deus? As tradições arraigadas, os costumes, as práticas sem vivência, inclusive quanto aos Sacramentos, permanecem? “Amanhã será como hoje”? 

Deus, apesar de nossas falhas, repete, para nós, o mesmo convite feito àqueles mensageiros do passado (Jl 3, 1-4 e Atos, 2, 14-18): Seremos os Profetas atuais? Procuraremos mostrar a triste ilusão da “falsa segurança” e vivenciar a “exata consciência” do Senhor?

Fátima e João Bosco
Eq. 5A - Jundiaí-SP

quinta-feira, 17 de março de 2016

Orientações e Temas do Ano

(Pe. Paulo Renato - SCE da Super Região, Hermelinda e Arturo - CRSR)

Clique aqui para assistir os filmes com as Orientações e Temas do Ano (reunião por reunião), para o ano de 2016.

.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

As falhas e a presença Divina

Depois dos maravilhosos fatos da libertação do Egito, eis que Deus estabeleceu uma Aliança com o povo de Israel: “Vocês serão para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa” (cf. Ex 19, 3-6). E o Povo respondeu: “Faremos tudo o que Javé mandou” (cf. Ex 19, 7-8). E começaram os filhos de Israel o caminho para a peregrinação à Casa do Pai, pois aspiravam, a exemplo dos Patriarcas, “uma pátria melhor” (cf. Hb 11, 13-16). 
A sequencia lógica dessa história deveria ser uma e única: o povo, no decorrer dos tempos, faria tudo o que Javé tinha mandado, cumprindo a sua missão... Mas os fatos se passaram de maneira diversa! Israel se tornou um povo que, repetidamente, incorria em falhas: “os israelitas tornaram a fazer o que Javé reprova” (Jz 3, 12-13 e 13, 1-2).

Deus, todavia, estava presente e intervinha concretamente, fazendo surgirem homens do povo para a libertação das suas falhas (cf. Jz 2, 16-18). Eram pessoas simples, como Gedeão, que chegavam a duvidar de suas forças e da providência divina: “Meu Senhor, como posso salvar Israel? Meu clã é o mais fraco da tribo de Manassés!” (cf. Jz. 6, 14-16). Ou então, eram pessoas que muitas vezes seguiam os seus próprios ímpetos, como Sansão, falhando e traindo a confiança de Deus (cf. Jz. 16, 15-20). 

O Senhor, porém, acolhia a sinceridade de um povo, a sua aspiração e amor à liberdade, a sua sensibilidade para perceber que, apesar das falhas, ocorria sempre um fato maravilhoso: “a Presença de Deus”. 

Todos esses acontecimentos são claras lições para nós, Equipistas, na peregrinação pela História da Salvação. Deus também nos acolheu, guardou-nos na fé e na luta interior, ofereceu a sua amizade, a sua Aliança. Mas nós também falhamos, não correspondemos à misericórdia de Deus: erramos e tornamos a errar nesses caminhos! 

Apesar de nossas falhas, conservemos a sensibilidade dos nossos irmãos de outrora: a sinceridade de coração, as aspirações de amor, de liberdade, e a evidência de uma força maior que está no nosso meio: 
“Por favor, Senhor, lembra-te de nós. Dá-nos forças mais uma vez!”
(cf. Jz. 16, 28)

Fátima e Bosco
Eq. 5A - Jundiaí/SP

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

O EACRE 2016 em testemunhos

Vivenciar um EACRE é especial. Nos faz sentir inseridos, integrados, em meio a irmãos que compartilham a mesma fé e o mesmo ideal, porém, a experiência de vivenciar um EACRE aberto, ou seja, em sistema de dormir em casa, é ainda mais profunda. Vivemos isso no último dia 30 de Janeiro, quando 80 casais fizeram a experiência do acolhimento!

Casais dos Setores de Jundiaí A e Jundiaí B acolheram casais dos Setores Sorocaba A, Sorocaba B, Votorantim, Porto Feliz e Itu. A grande maioria não se conheciam até o sábado a noite, quando se deu a revelação de quem seriam os "anjos" acolhedores que levariam para suas casa os casais abertos ao acolhimento. O que antes era um sentimento de apreensão e medo do desconhecido, se tornou alegria. Alegria revelada num olhar atento para saber como era o rosto daqueles que até então eram apenas nomes numa folha de papel. Alegria revelada nos sorrisos que surgiam nos lábios daqueles que viam seus nomes serem exibidos pelos anjos acolhedores. 

Nestes testemunhos fica fácil perceber o espírito que envolve este momento:

"Essa foi nossa primeira experiência como casal acolhedor, e podemos dizer que como autênticos seres humanos estávamos ansiosos e porque não dizer com medo de receber em nossa casa, casal que não conhecíamos. Medo do que? Medo de não saber acolher, de não saber o que conversar, medo de não conseguir deixar esse casal a vontade... sei lá medo de muitas coisas que já nem lembramos mais, pois isso já é passado. No dia do EACRE procuramos deixar tudo pronto, tudo preparado para receber em nossa casa um casal amigo, um casal que luta pelo mesmo ideal, que busca a mesma santidade, recebê-los de uma forma que deixasse-os sentir realmente “em casa”. Ficávamos tentando imaginar como seria esse casal, pois afinal já tínhamos em nossas mãos algumas informações (Nome, Idade, Setor e tempo de equipe) que nos levava a imaginar como era esse casal, indicado por Deus para vir nos visitar, e que tínhamos a “obrigação” de sermos seu anjos, como dizia a música que estava tocando no momento que adentramos na sala onde estava sendo o EACRE. No momento em que conhecemos pessoalmente o casal Priscila e Mauricio (Equipe Nossa Senhora de Fatima – Setor Votorantim), parece que toda barreira que existia entre nós foi quebrada, todos nossos medos desapareceram... parece que já nos conhecíamos a um certo tempo. Nos sentimos realmente como escolhidos por Deus para “cuidar” deste casal. Coisas de Deus, que nos mostra que tudo na vida ele vai na frente e prepara, cabendo a nós somente confiar e se entregar. Foi uma noite muito agradável, onde podemos nos conhecer e ver que tínhamos muitas coisas em comum, alem de pertencer as ENS. Conversamos muito sobre filhos, profissão, família, ENS, sonhos, etc, etc. Não vimos a hora passar! Como tinham que estar cedinho no domingo para continuar o EACRE e tínhamos que cuidar deles, deixamos eles descansar, mas já combinamos de marcar uma visita, mas com a família completa para retomarmos nossos assuntos. No domingo de manhã, o casal pediu que queria rezar juntamente com a gente, e juntos agradecemos a Deus por tudo que ele tinha nos proporcionado. Agradecemos a ENS e a Deus por mais esta inesquecível experiência."
Rosana e Rogerio (Eq. B / Jundiaí B – Nossa Senhora Aparecida)
"Eu e meu marido fomos muito bem acolhidos, nos sentimos queridos pelo casal que nos recebeu, as filhas cederam o próprio quarto e até o ventilador para que tivéssemos conforto, ficamos muito agradecidos pelo imenso carinho em nos receber, afinal a única certeza que eles tinham é que éramos pessoas em Cristo, e isso foi mais do que suficiente para nos receber de braços abertos. Estamos realmente realizados com essa experiência!"
Michele e Leandro (Eq. 17 / Sorocaba B)
"O EACRE foi maravilhoso. Padre Geraldo e Padre Milton foram bons palestrantes, nos envolveram com seus temas, conseguiram manter nossa atenção. Os testemunhos, quanta riqueza de fé. Os animadores não deixaram a peteca cair, mesmo que tivessem que dançar a tarantela! Mas para nós a acolhida foi a melhor surpresa desse encontro. Esperávamos ansiosamente, não sabíamos como seria; se ficaríamos a vontade, como seria a família que nos acolheria. Ficávamos olhando para ver se descobríamos nosso casal acolhedor. E fomos o último grupo. Que emoção procurar nossos nomes. E lá estava Malu e Tokio, levantamos e fomos conhecê-los. Eram a Neusa e Roberto. Que alegria! Logo pegamos a mala e nos dirigimos para o carro. Ele informou que iríamos para um sítio. Que eles eram produtores de frutas, mas primeiro nos levaram para conhecermos o centro e foi contando um pouco da história da cidade. Chegamos na casa e o quarto estava todo arrumado para nós. Uma cama imensa com enormes toalhas felpudas sobre ela e uma lembrança carinhosa do casal. No banheiro tinha tudo que poderíamos precisar. Tomamos um banho e fomos convidados a tomar um chá com bolo e ficamos conversando. Só paramos pois deveríamos acordar cedo para o 2º dia do EACRE. No dia seguinte nos levaram de volta. Mas estávamos muito felizes! Foi uma grata surpresa conhecer pessoas tão maravilhosas. Que exemplo de casal! Que lutam por um mundo melhor. Por uma cidade mais sustentável. Que pensam e se preocupam com os menos afortunados. Que trabalham com dependentes químicos. Por tudo que nos contaram e conversamos, aprendemos muitas coisas, principalmente que nós cristãos podemos e devemos mudar o que está errado e pode ser melhorado. Devemos abrir os olhos e arregaçar as mangas porque o mundo só vai melhorar quando os cristãos acreditarem e assumirem sua missão no mundo de fazer o bem a todos, sem discriminação de raça, religião ou partido politico. O mundo precisa de mais igualdade, fraternidade e justiça. Queremos agradecer o MENS pela oportunidade da troca de experiências. Que o Senhor derrame muitas bençãos sobre o casal Neusa e Roberto. Que Deus os abençoe com muita saúde, paz e amor! Amém!"
Malu e Tokio (Equipe 10 / Sorocaba B)
NOVO (12/02/16):
"Vimos, através desta carta, registrar uma explosão de sentimentos que nos invadiram no final de semana que compreendeu o dia 30 e 31 de Janeiro, onde nós, como Casal Responsável de Equipe, fomos chamados a participar do Encontro Anual de Casal Responsável de Equipe ( EACRE), sentimentos esses que nos contagiaram, sendo alguns deles a aceitação, acolhimento, admissão, recepção, refúgio , proteção e acima de tudo ALEGRIA. Logo no início quando chegamos fomos acolhidos com uma recepção calorosa, onde o pessoal já na rua nos esperando, nos acolhendo com muita Alegria. Queremos registrar também outros sentimentos que experimentamos, uma vez que foi o nosso primeiro EACRE, a incerteza, a ansiedade, a apreensão e até mesmo a hesitação em ter que dormir na casa de uma família desconhecida, de como seriamos recebidos, será que agradaríamos as pessoas ou será que não seria uma invasão de privacidade. No entanto, no momento em que começamos a ir até a casa do casal, fomos conversando para nos conhecer e quando chegamos na casa já estávamos muito mais a vontade, conversamos bastante sobre vários assuntos ficamos realmente a vontade e ai que experimentamos o refugio contra nossas dúvidas e a proteção dos nossos “ANJOS” que DEUS já havia preparado. Foi uma experiência incrível, fomos tão bem acolhidos, que nos sentimos amigos de muito tempo, ou até mesmo parte da família. Tivemos um grande exemplo, do verdadeiro “CRISTÃO”, do verdadeiro "EQUIPISTA"."
Micheli e Rod (Equipe 9 / Votorantim)
NOVO (14/02):
"Primeiro temos a dizer da acolhida no EACRE, da animação, que foi muito calorosa. Todos com sorriso que contagiam. Quanto ao acolhimento nas casas, estávamos preocupados pois eu, Leila, sou tímida e de poucas palavras e o Celio tem dificuldades pra dormir, ainda mais fora de casa. Mas foi uma experiência muito boa. O casal Cleide e Ananias é muito simpático. Desde que nos buscaram até a hora de irmos pra cama, nos deram muita atenção. Sentimo-nos a vontade, como se nos conhecêssemos há muito tempo. Além de nos dar a sua cama, conversamos sobre assuntos que se conversa só com amigos. Valeu."
Leila e Celio (Equipe 7 / Votorantim)

Você também acolheu ou foi acolhido? Mande seu depoimento e partilhe conosco sua experiência! (email: ens.jundiai@gmail.com)

Equipe do Blog das ENS
Jundiaí/SP

O EACRE 2016 em fotos

O EACRE - Encontro Anual de Casais Responsáveis de Equipe - da Região SP Sul II, realizado nos dias 30 e 31 de Janeiro em Jundiaí/SP, reuniu cerca de 170 casais dos Setores de Sorocaba A, Sorocaba B, Votorantim, Itu, Porto Feliz, Jundiaí A e Jundiaí B, além de vários Conselheiros Espirituais. 



Os principais temas de formação e assuntos que irão direcionar os CRE ao longo de 2016 foram abordados, além de testemunhos que destacaram o comprometimento, a fé e o espírito do tema para esse ano: Viver a Missão com Alegria!

Só quem vivenciou é capaz de avaliar quão ricos e intensos foram esses dias, porém, alguns momentos foram eternizados através de imagens! Convidamos você a viver ou reviver alguns deles, através destes links:

AQUI para fotos de Recepção.

AQUI para fotos da Missa do Sábado.

AQUI para fotos da Abertura e Apresentação dos Setores.

AQUI para fotos da Dinâmica dos Olhos Vendados.

AQUI para fotos das Danças de Tarantella.

AQUI para fotos da Dinâmica da Montanha Russa.

AQUI para fotos do encontro de Acolhidos e Acolhedores (Anjos).

AQUI para fotos da Missa de Domingo.

AQUI para fotos da Celebração de Envio.

AQUI para fotos dos momentos de Palestras (Palestrantes).

AQUI para fotos no Refeitório / Agradecimento Equipe Copa/Cozinha.

AQUI para foto Oficial do EACRE.

O créditos das fotos são para:
Elis (do André) - Eq. 15 - Setor Jundiaí A
Fernando (da Bia) - Eq. 13 - Setor Sorocaba A

Equipe do Blog das ENS
Jundiaí/SP

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Bem vinda, Giovana!

As Equipes de Nossa Senhora de Jundiaí se alegram com os pais Mariana e Jorge (Eq.12A) pela chegada da Giovana! Ela nasceu no dia 11 de Janeiro com 3,300 kg, 50 cm e muita saúde! Deus abençoe essa vida e essa família!



Érica e Wilson
CRS Jundiaí A

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Josué: o dom e a conquista

O Livro de Josué não se constitui somente de um simples registro ou crônica de fatos relatando o esforço da conquista da Terra Prometida, mas na realidade, a partir deles, vem expressar uma interpretação de vários acontecimentos à luz da fé para a amostragem do significado admirável da conquista de Canaã.

Atrás das longas listas de lugares conquistados, o relato revela em primeiro a alegria e a gratidão do Povo de Israel pelo dom inefável de Deus. Mas outro evento também importante reside no fato de que o povo teve que conquistar o que o Senhor lhes prometera.

A grande lição do evento grandioso foi que Deus concede o dom, mas não suprime a iniciativa humana. Ao contrário, exige que o homem busque e conquiste o Seu dom. Essa graça não é, pois, somente um dom paternalista de Deus, deixando o homem sem qualquer participação, em uma atitude passiva: a vida é um dom que o homem deve descobrir e conquistar.

O Livro de Josué se constitui em um maravilhoso tratado sobre a graça de Deus que é a base da vida e da história: assim, o Senhor realiza seu dom por dentro das ações e conquistas do homem.

Assim, a Terra é o fruto da promessa divina e, ao mesmo tempo, da aspiração e conquista do homem: o dom supõe firmeza e coragem, pois o povo terá de fazer a sua parte na apropriação da terra dada por Deus. E essa dádiva tem uma condição primordial: que essa terra seja um lugar de construção de uma sociedade fraterna.

Esta a grande lição para nós, Equipistas, nas nossas aspirações e solicitações ao Senhor na condução dos nossos caminhos, tal qual fez a Josué: sermos sempre firmes e corajosos para cumprir a nossa parte, não se desviando do dever nem para a direita e nem para a esquerda, e seremos bem sucedidos em nossos empreendimentos:

“Assim como estive com Moisés, estarei também com vocês:
não os abandonarei nem os deixarei desamparados”!
(cf. Js 1, 5)

Fátima e João Bosco
Eq. 5A - Jundiaí/SP

terça-feira, 12 de janeiro de 2016